Tanto os pais de primeira viagem quanto os já experientes na aventura de criar um filho têm suas dúvidas quando o assunto é a higiene bucal da criança. Como fazer? Por onde começar? Qual a maneira correta? A odontopediatra Alessandra Souza esclarece algumas dessas questões.

Iniciar a higienização

Os cuidados devem começar antes mesmo do nascimento do primeiro dente para evitar doenças inflamatórias causadas por fungos. Para esse cuidado em recém-nascidos, é indicado o uso de dedeiras dentais de silicone. "Elas facilitam a limpeza da gengiva da criança e são mais confortáveis. Além da prevenção, a manipulação da cavidade oral do bebê ajuda a criar um hábito de higiene, já que a criança ficará mais acostumada com a mãe e o pai mexendo em sua boca'', orienta Alessandra.

Uso de flúor

Antigamente, o uso do flúor era contraindicado por não haver evidências cientificas de que ele não traria malefícios gástricos à criança. Outro motivo era evitar fluorose, que é uma alteração no esmalte e na dentina que ocorre devido ao excesso de ingestão de flúor durante a formação dos dentes. A fluorose provoca a hipomineralização, causando manchas e, em casos mais graves, a perda da estrutura dental.

Com os avanços científicos, a recomendação mudou. “Atualmente, a Associação Brasileira de Odontopediatria (Aboped) e a Associação Americana de Pediatria indicam o flúor desde os primeiros dentinhos do bebê, chamando a atenção para que os pais usem somente a quantidade indicada para cada idade”, explica a dentista, ressaltando que de 0 a 3 anos, a quantidade de pasta deve ser equivalente a 1/2 grão de arroz cru (0,05 gramas), de 3 a 7 anos é o equivalente a 1 grão de arroz cru (0,1 grama) e, acima de 7 anos, a 1 grão de ervilha (0,3 gramas). Depois desta idade, eles já podem utilizar os cremes dentais de adultos.

Além da pasta de dente apropriada para cada fase, alguns outros cuidados devem ser observados na escovação infantil, como comprar escovas que tenham cabeça pequena e cerdas bem macias.

Fio dental

A recomendação para o uso de fio dental também é para que os pais comecem cedo, assim que os dois primeiros dentes nascerem, pois ele é importantíssimo para manter as laterais dos dentes sem resíduo alimentar. De acordo com Alessandra, estudos apontam que a falta do fio dental nos dentes molares, localizados no fundo da boca, são a maior causa da cárie interproximal, aquela que fica escondida entre os dentes.

Primeira vez no dentista

Mesmo sem dentinhos, os bebês devem ir ao odontopediatra, pois é esse profissional que vai avaliar todas as estruturas dos ossos da face dos pequenos, a mucosa, os freios e as gengivas, para ver se estão nos padrões normais. Também será feito um teste para verificar uma possível "língua presa" e já realizar o tratamento adequado se for o caso.

Caiu e quebrou o dente

Os dentes são muito vascularizados e qualquer batida pode gerar um dano na estrutura. A recomendação profissional é que se acontecer um acidente, mesmo que seja um tombo aparentemente inofensivo, os pais devem procurar um dentista imediatamente. “Os dentes podem ter a cor alterada por conta do trauma, podem trincar, quebrar a coroa e até a raiz. Por isso, é importante levar o pequeno ao especialista, para que sejam realizados testes de vitalidade no dente.”

Quando começam a cair

A nova geração tem dentes caindo cada vez mais cedo. Antigamente, por volta dos sete anos as primeiras janelinhas apareciam. Hoje, com cerca de cinco anos eles já perdem os dentes. É importante que os pais fiquem atentos aos filhos para que eles não coloquem a mão suja na boca tentando amolecer o dente. Nessa fase também é indicada a retirada de vez da chupeta e da mamadeira, que podem prejudicar o posicionamento do novo dente.

Adulto pode arrancar o dente?

A dentista afirma que os adultos podem remover o dente das crianças somente quando ele estiver totalmente solto para evitar uma possível fratura de raiz, mas alerta que aquelas extrações caseiras, como amarrar o dente no fio dental e bater na porta, por exemplo, não são indicadas!

Higiene supervisionada

Os pais devem escovar os dentes dos filhos até os oito anos de idade, mas é importante ficar de olho até passar a fase da pré-adolescência, na qual a criança não quer tomar banho e nem escovar os dentes. Afinal, cuidar é um ato de amor!