A primeira impressão de uma casa começa na porta. Ela limita, protege e resguarda o ambiente, além de cumprir a função de dividir os outros cômodos. As portas, no entanto, podem se tornar protagonistas de um ambiente, levando a personalidade e estilo do morador. Em tempos de pandemia, em que as atenções para o lar se intensificaram, investir em uma nova cara pintando as portas pode ser uma saída, inclusive, para poupar dinheiro em reformas, motivo para a tendência estar se fortalecendo.

Se a porta de entrada possui uma cor viva e inusitada, por exemplo, já dá uma ideia do que se encontrará lá dentro. A imaginação pode rolar solta na escolha de cores para portas do lavabo, da lavanderia, do corredor que dá acesso aos quartos. Antes de tomar uma decisão; entretanto, é importante levar o contexto do restante da decoração da casa em consideração.

Para não ter erro nem destoar com o restante da paleta de cores da casa, a arquiteta Marina Carvalho traz algumas recomendações. “Vale apostar em tonalidades presentes na decoração ou em nuances vibrantes e únicas, que apareçam com máximo de destaque, dando um ar de modernidade e descontração para o projeto”, explica.

Uma opção é pintar a porta do mesmo tom das paredes, criando uma superfície única, como se fosse um grande painel. Outra saída é adotar uma cor que contraste com os demais materiais do ambiente e tornar a porta evidente e chamativa. Se a ideia é trocar a porta por uma nova, o primeiro passo é escolher qual será o tipo estilo. “Se de abertura tradicional ou pivotante, em que o acionamento acontece por meio de pivôs ou pinos instalados nas partes inferior e superior da porta, na mesma direção”, explica. “Depois é hora de eleger o estilo, os tons e os acabamentos que vão compor o ambiente”, diz.

Voltando à ideia da pintura, há duas opções mais usadas: revesti-la com laminados melamínicos, conhecida como fórmica, ou cobri-la com tintas específicas. Esse processo de pintura de uma folha de madeira nova ou antiga muda bastante e pode interferir na aderência da tinta. “Para que o resultado na pintura seja positivo e duradouro, recomendo contratar profissionais especializados para fazer esse tipo de serviço. Assim, além de economizar tempo, a porta ficará exatamente do jeito que você quer”, ressalta.

Os acabamentos devem receber uma atenção extra, principalmente se as portas ficarem expostas à parte externa. Questões como luminosidade, umidade e contato com água da chuva e incidência do sol diretamente devem ser levados em conta. Caso a porta seja de madeira, a tinta mais usada, segundo Marina, é o esmalte, atualmente encontrada em versões à base de água e com secagem mais rápida. Se a porta for de MDF colorido, é preciso escolher com cuidado para que isso não seja um problema futuramente: é preciso uma primeira demão branca para depois passar a colorida, finalizando o trabalho com o uso de verniz.

Tons pastel

Se a ideia de pintar a porta de uma cor muito vibrante for enjoar futuramente, optar por tons pastéis pode ser uma solução por serem mais suaves ao olhar. “Eles deixam a casa mais leve sem tanta informação logo de cara”, comenta a arquiteta. “É uma boa opção, principalmente, em ambientes onde os móveis apresentam uma paleta neutra e tranquila”, diz. No projeto de uma sala de apartamento, Marina combinou o azul tom pastel da porta de entrada com os móveis de marcenaria de madeiras claras.

Monocromia, uma alternativa

O arquiteto Renan Altera ficou incumbido da missão de transformar um apartamento de 40 metros quadrados em um ambiente aconchegante e relaxante, mas ao mesmo tempo moderno e com pegada mais jovem. “A história desse projeto é interessante, porque não se trata de um simples apartamento em condomínio convencional. Na verdade, é um apart hotel, que o proprietário decidiu disponibilizar para locação”, conta. “Por isso, ele solicitou uma reforma com o intuito de tornar o imóvel mais atrativo e com mais cara de lar do que de hotel”, conta.

Apesar de ser um apartamento pequeno, o arquiteto priorizou otimizar o espaço total por meio da união entre os espaços, que conta com sala de estar e TV, varanda gourmet com grill, cozinha, home office, quarto e banheiro. Entre as soluções criativas e com a intenção de trazer unidade ao apartamento e, dessa maneira, reforçar a integração, Renan optou por manter em quase todos os espaços a mesma cor de tinta, assim como o revestimento do piso.

Além da sensação de unidade, a escolha da pintura trouxe uma atmosfera relaxante ao ambiente. As portas criaam um efeito surpresa, escondendo a área da cozinha e do home office. As que escondem a cozinha já estavam presentes no apartamento antes da reforma, com o acréscimo apenas da escolha estética de camuflá-las com a parede.