Os animais de estimação têm conquistado os lares e, principalmente, o coração dos brasileiros. São mais de 52 milhões de cães e 22 milhões de gatos no país, segundo os últimos dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). E é cada vez mais comum os pets participarem dos momentos de lazer das famílias. Eles acompanham os donos a estabelecimentos comerciais, passeiam pelos parques ou ficam hospedados em hotéis, enquanto os donos viajam. Mas apenas carinho e atenção não são suficientes para ter um animal com bom comportamento. Os mimos são importantes, assim como a imposição de limites.

Regras

A passeadora de cães e babá de animais Flávia Ribeiro diz que alguns ensinamentos são necessários para que o animal seja disciplinado. “O cachorro precisa aprender a andar junto com o dono, mas sempre ao lado ou atrás. Jamais pode ir à frente do dono, porque o responsável pelo animal deve demonstrar quem é o líder. Também é preciso ensinar o cachorro a ser sociável e não ter medo de pessoas e carros”, descreve.
 
E o que fazer quando o cão começa a latir muito? Flávia explica que o excesso de latido pode significar estresse. “Daí a necessidade de o animal gastar energia com brincadeiras diárias. O dono, num momento assim, pode utilizar comandos, como ‘quieto’, com a voz firme e sem gritar.”
 
Também não se esqueça da coleira e guia. Há parques que permitem que os cães fiquem livres em espaços reservados para brincar e interagir com outros cachorros, mas é importante verificar as regras de cada local.

Aprendizado

O veterinário Wanderson Alves explica que, ao ser adestrado de forma repetitiva e com respeito, o cachorro aprende as regras. “Toda vez que ele fizer as necessidades no local certo, elogie-o ou recompense-o. Quando não fizer certo, corrija dizendo ‘não pode’. Com a repetição, ele vai aprender”. Assim também deve ser feito quando o cachorro tem a mania de pular nos visitantes, por exemplo, ou tem algum outro comportamento que deve ser corrigido.
 
Wanderson orienta sobre cuidados com a alimentação do animal. “Toda vez que for sentar à mesa, o melhor é levar a ração do cachorro para outro ambiente da casa. Quando ele fica ao nosso lado, não resistimos e damos nossa comida para eles, atrapalhando a saúde do animal, que precisa da ração correta. Claro que de vez em quando não tem problema, mas não pode virar rotina”, explica.
 
Posse responsável

Cuidar do bem-estar e saúde do animal, a chamada posse responsável, também é importante. O veterinário Wanderson Alves alerta sobre os primeiros passos a serem tomados antes de levar o animal, principalmente cachorros, que precisam de mais cuidados, para dentro de casa.
 
- É preciso consciência de que um animal gera custos para a família.  Estou disposto a pagar pelas vacinas, alimentação, idas ao veterinário etc.?
 
- Há espaço suficiente na minha residência para que o cachorro possa se movimentar com comodidade? Para um cachorro de 10 quilos, por exemplo, é necessária, no mínimo, uma área de 40m², segundo o veterinário.
 
 - Meu animal será para procriar ou não? Castrar ou não?
 
- A família toda está de acordo em termos um animal de estimação?
 
- Tenho tempo para dar carinho e atenção ao meu cachorro/gato?

Depois de já estar com o pet em casa, é preciso atenção à saúde dele. O dono deve levá-lo para tomar as vacinas necessárias, dar vermífugo de acordo com o calendário, higienizar uma vez por semana e adestrá-lo.

Dicas para a hora do passeio:

- O cachorro deve sair usando peitoral de guia/coleira.
- Para as necessidades do animal, leve sempre um saquinho ou recipiente.
- Em época de muito calor, dê preferência para passeios à noite e não se esqueça de levar água para o cachorro beber.
- Mantenha uma coleira no pet com uma plaquinha de identificação com o telefone do dono.
- Jamais deixe seu animal passear sozinho, mesmo que seja para uma voltinha.
 
Cuidado com os excessos:

Queremos dar o melhor para nossos animais, afinal são os nossos melhores amigos. Mas é preciso ter certos cuidados:

- Não o trate como ser humano. Isso pode resultar em cães agressivos.
- Alimente-o com uma dieta adequada para animal. 
- Cuide da higiene. 
- Seja carinhoso e firme ao mesmo tempo, para adestrar o cãozinho. Ele precisa de amor, mas também de limites