Uma coisa é certa: o consumidor está cada vez mais preocupado com a alimentação. No entanto, segundo a nutricionista Ana Paula Del'Arco, membro da Associação Brasileira de Laticínios, é preciso cuidado para o correto equilíbrio de todos os nutrientes que o corpo necessita. Senso assim, a lactose é vilã? Consumir produtos sem lactose é mais saudável? 

A especialista responde a oito perguntas sobre as diferenças entre produtos com e sem lactose.

1. O que é lactose?

A lactose é um nutriente que fornece energia ao corpo e, para fornecer energia, precisa ser absorvida. Contudo, o corpo só consegue absorver partículas bem pequenas de carboidratos, os chamados monossacarídeos. Por isso, a lactose precisa necessariamente ser "quebrada" em uma molécula de glicose e uma de galactose para o corpo poder absorver e obter energia oriunda da lactose.

2. Como os produtos sem lactose são obtidos?

Um leite ou um lácteo sem lactose é um produto no qual a molécula de lactose já foi previamente "quebrada" na indústria de alimentos, pela ação de uma enzima. Esses produtos são aqueles que já têm a glicose e a galactose prontos para serem absorvidos pelo corpo.

3. Consumir a lactose faz mal para a saúde?

A lactose só pode causar desconfortos para aquelas pessoas que têm intolerância. E foi exatamente para essas pessoas que a indústria desenvolveu como uma alternativa os produtos sem lactose, já que as pessoas com intolerância à lactose não conseguem digerir a molécula da lactose.

4. O que é a intolerância à lactose?

É a dificuldade de digerir a lactose, que é o açúcar do leite. Os sintomas são desconfortáveis, mas não são graves como os da alergia à proteína do leite. As pessoas que apresentam a intolerância têm uma deficiência na produção da enzima lactase, que digere a lactose no intestino. Os principais sintomas da intolerância à lactose são dor e distensão abdominal, inchaço, gases e diarreia.

5. O que é a alergia à proteína do leite?

A alergia é uma reação do corpo às proteínas do leite de vaca: caseína, alfa-lactoalbumina, beta-lactoglobulina. Qualquer quantidade é suficiente para causar a reação alérgica. Os principais sintomas estão relacionados ao sistema digestório, como sangue nas fezes, cólicas, diarreia e constipação. Também há sintomas na pele, como dermatite atópica e outras manifestações cutâneas. Uma pessoa com alergia à proteína do leite não pode entrar em contato com o leite ou produtos que o contenha, nem passar na pele um creme que contenha leite na composição.

6. Consumir produtos sem lactose é mais saudável?

Os produtos sem lactose não são mais saudáveis para aqueles que não apresentam intolerância à lactose. Esses produtos com a lactose "quebrada" mantêm a composição nutricional dos produtos com lactose. Para aqueles que não apresentam intolerância, excluir qualquer grupo alimentar da dieta não é uma opção saudável, podendo prejudicar o atingimento do correto balanço nutricional, principalmente em cálcio.

7. E para quem tem alergia à proteína do leite de vaca ou intolerância à lactose?

Quem tem a alergia à proteína do leite não pode consumir produtos que contenham leite de vaca na composição. Especificamente, nesse caso, as bebidas vegetais podem aparecer como alternativa. No entanto, é recomendado um acompanhamento nutricional para assegurar uma dieta equilibrada. Para quem apresenta intolerância à lactose, ainda é possível consumir lácteos que contenham menor quantidade de lactose, como queijos, iogurtes ou leite de origem animal sem lactose.

8. Leite sem lactose tem a mesma quantidade de cálcio que o leite com lactose?

Sim. A única diferença é que os produtos sem lactose tiveram a lactose previamente "quebrada" (ou digerida). O consumo do leite e seus derivados são recomendados durante toda a vida, compondo uma dieta balanceada e equilibrada, uma vez que são ricos em cálcio, em proteínas de alto valor biológico, vitaminas, gorduras e tantos outros nutrientes fundamentais para o organismo.