No Brasil, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens, ficando atrás apenas do câncer de pele não melanoma. Dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca) estimam que até o fim de 2018 serão 68.220 novos casos da doença, sendo que os valores correspondem a um risco estimado de 66 novos casos a cada 100 mil homens. 

“A próstata localiza-se abaixo da bexiga e tem a função de produzir parte do líquido que compõe o esperma, juntamente com as vesículas seminais. A glândula é responsável pela produção do líquido prostático que se mistura ao líquido seminal, que é produzido pelas vesículas seminais. Isso é 70% do sêmen. O restante do sêmen é constituído por 25% de líquido da próstata e 5% dos testículos”, explica o urologista Silvio Pires, da Criogênesis. 

Ainda de acordo com o especialista, por ainda ser um assunto cercado de tabus, é comum surgir diversas dúvidas sobre o câncer de próstata. Silvio lista os principais mitos e verdades relacionadas a doença. 

Confira:

O câncer de próstata não apresenta sintomas

Verdade. Na fase inicial, onde é possível fazer um tratamento curativo, o câncer de próstata não apresenta sintomas. Portanto, é essencial fazer os exames de rotina para prevenir a doença. “Na maioria dos casos, a detecção é realizada por dois exames combinados: pelo exame de sangue específico, que é o PSA, e o outro é o toque retal. Se houver uma suspeita por qualquer um dos exames alterados, é feita uma biópsia de próstata que vai confirmar o diagnóstico”, explica. 

Há alguma relação do câncer de próstata com impotência sexual

Isso é um mito. É importante ressaltar que o câncer em si não causa impotência. Em alguns casos, os tratamentos podem levar à disfunção erétil e sua incidência está relacionada à idade do paciente e a condição sexual pré-tratamento. Mas hoje, com o avanço tecnológico da medicina, é possível reverter esse possível quadro com medicamentos e próteses penianas.

A doença costuma surgir a partir dos 50 anos

Sim, o câncer de próstata apresenta seu pico de incidência a partir dos 50 anos. “No entanto, homens com história de câncer de próstata na família devem iniciar o check-up anual após os 40 anos de idade, que consiste na entrevista clínica, um exame de sangue e toque retal”, alerta o especialista.

O exame de sangue pode substituir o exame da próstata

Não. Existem pessoas que acreditam que o exame de sangue exclusivamente (o PSA) pode detectar o câncer de próstata. Isso não é verdade. Ele é solicitado pelo médico e deve ser adequadamente interpretado pelo urologista, e toque retal funciona como um complemento muito importante. Esse conjunto possibilita o diagnóstico na maioria dos casos.