Associado ao diabetes, obesidade, envelhecimento precoce, síndrome metabólica e aumento do risco de doenças cardiovasculares, entre vários outros problemas, o açúcar está presente, nas mais variadas formas, em alimentos comuns no nosso dia a dia. E às vezes nem nos damos conta disso.
 
A recomendação atual da Organização Mundial da Saúde (OMS) é de que o consumo diário de açúcar não ultrapasse 50 gramas, mas, segundo a entidade, o ideal para a saúde seria limitar a 25 gramas por dia. E essa conta inclui não apenas o açúcar que adicionamos ao cafezinho, por exemplo, mas também aquele açúcar que já vem em produtos alimentícios como refrigerante, suco de caixinha, chocolate etc.
 
Uma estratégia para reduzir a ingestão de açúcar é ler o rótulo dos alimentos, pois o primeiro nome que aparece na lista de ingredientes na embalagem é o daquele que está presente em maior quantidade na composição. Dessa maneira é possível começar a criar uma consciência sobre os tipos de produtos que levam mais ou menos açúcar e tentar equilibrar o consumo.
 
Para a endocrinologista Monica Moromizato, a alimentação equilibrada com menos açúcar é fundamental para evitar doenças e ter uma vida mais saudável. De acordo com a especialista, a energia de que nosso organismo precisa pode vir de alimentos como as frutas (de três a quatro por dia), pão, arroz e massas integrais, todos estes considerados carboidratos complexos e com absorção mais lenta pelo organismo. Nessa lista cabe adicionar também a batata-doce e a tapioca.
 
A quem precisa perder peso, Monica alerta que abusar dos sucos naturais pode ser um erro. "Por ser rico em frutose, o suco natural tem alto índice calórico, o que acaba tornando-o um inimigo da dieta. Nesse caso, prefira sucos de frutas cítricas como limão, maracujá e caju, além dos chás, desde que não sejam industrializados. Também é possível substituir o açúcar refinado comum por adoçantes naturais como stevia e xilitol", explica.

Açúcares X adoçantes

Devido à paixão do brasileiro por doces tradicionais como brigadeiro, cocada, quindim e tantos outros, em 2017 o Brasil assumiu alguns compromissos com a OMS com a finalidade de frear o consumo de bebidas açucaradas, assim como de reduzir o teor do ingrediente em alimentos industrializados. Aliás, a redução do açúcar é uma preocupação mundial e, não à toa, há uma corrida em busca do adoçante perfeito.