2017 já está batendo à porta. Se para alguns é motivo de alegria, para outros, o desespero toma conta. Para a educadora financeira, Vivian Rodrigues, é necessário mudar a mentalidade. "Não é que 2017 já chegou, mas nós ainda temos dois meses inteiros antes de o ano acabar", diz. 

Mesmo com a crise econômica, Vivian recomenda que as pessoas busquem se organizar financeiramente e faça uma poupança. "Não é 'sobrança', mas sim poupança. A conta que as pessoas fazem é invertida: todo mundo pensa em quanto ganha, em quanto gasta para depois ver quanto sobra. É interessante que as pessoas vejam quanto ganham, retirem uma parte para os objetivos e vivam um padrão de vida de acordo com o que sobra", orienta. 

Para a educadora financeira, dinheiro é só um pedaço de papel pintado, por isso, é mais importante que as pessoas vivam. "De que adianta guardar se as pessoas não têm objetivos e sonhos?".

A master coach, especialista em gestão do tempo, Tathiane Deândhela, concorda com a educadora financeira. Para Tathiane, o mais importante é que as pessoas tenham sonhos e que tentem executá-los. Sobre as promessas de início de ano, a master coach orienta que as pessoas se planejem para todo o ano e não apenas para o mês de janeiro. "De nada adianta ter mil sonhos para janeiro, se em fevereiro já acabaram. Se você quer ir à academia, prometa isso para janeiro. Já para fevereiro, prometa fazer academia e entrar no curso de inglês. Assim a evolução vai ficando gradativa." 

Tathiane reforça ainda a importância de se criar hábito. Segundo a especialista, estudos revelam que a repetição é a chave do sucesso. "Quando você repete algo 23 vezes, aquilo será incorporado e vai ser mais um hábito". Por isso, a persistência se faz tão necessária.