As férias de julho não precisam se tornar um pesadelo para os pais que não puderam tirar o mesmo período de recesso do trabalho. Se você está nessa situação, já deve estar se perguntando como vai lidar com a mudança na rotina das crianças pelos próximos dias enquanto a sua continuará a mesma. Saiba que tudo pode dar muito certo e será possível tirar proveito desse momento para ganhar ainda mais qualidade na relação familiar.

Férias não precisam ser sinônimo de “eu posso fazer o que quiser, na hora que bem entender”. Mesmo nessa época, é fundamental estabelecer regrinhas que ajudem a organizar a rotina dos filhos, ainda que sejam mais flexíveis que as habituais. “Para as crianças, também é diferente ficar tanto tempo sem as atribuições do dia a dia, como a escola e as atividades extracurriculares. Cabe aos pais auxiliar e determinar obrigações que devem ser cumpridas no período do descanso escolar”, orienta a psicopedagoga e terapeuta familiar Fabíola Sperandio.

Mesmo que não seja você quem ficará com os filhos durante a maior parte do tempo no mês de recesso, explique para a cuidadora – seja a avó, tia ou a babá – qual o horário limite para acordar as crianças, ressalte a importância de cuidar da higiene pessoal, da dedicação à leitura (de preferência de escolha da criança) e até da realização de atividades como colocar o quarto em ordem, separar roupas que não servem mais e que podem ser doadas, entre outras ações dessa natureza. Enfim, atividades produtivas que nem sempre podem ser feitas na correria da rotina escolar.

Por outro lado, o período de férias também abre permissão para a quebra de algumas normas: deitar mais tarde, estipular um tempo maior para os jogos eletrônicos, permitir mais vezes a visita aos familiares e amigos e até o pernoite na casa daqueles de mais confiança e liberdade. “É legal os pais diminuírem o rigor com que conduzem a rotina dos filhos. Certamente a criança vai sentir a diferença. Ser flexível no período de férias é saudável”, orienta a psicopedagoga.

É importante também que os pais tenham um fôlego extra ao chegar em casa para assistir a filmes e séries, promover jogos, cozinhar em família, sair para jantar, ir ao cinema. “Os pais precisam quebrar a rotina, mesmo durante a semana, e dar uma atenção redobrada aos filhos, que agora podem ficar acordados até mais tarde. Mesmo que não demonstre, todo filho se sente reconfortado com uma atenção especial dos pais”, garante Fabíola.

Fugindo da rotina

Se, mesmo com todas as mudanças e acordos estabelecidos com os filhos, você ainda sente seu coração partir quando sai para o trabalho e os deixa em casa pelas próximas horas, que tal recorrer a uma colônia de férias? Atualmente, existem muitas opções para todas as idades e condições financeiras. Consulte sobre participações semanais para ver se a criança se adapta e gosta da proposta. A colônia de férias pode ser uma boa oportunidade para a socialização, prática esportiva, trabalho em equipe e até uma contribuição lúdica sobre como lidar com frustrações com a perda de uma gincana, por exemplo.

Para as mães que têm optado por trabalhar em esquema home office (principalmente quando o filho ainda é mais novinho) ou mesmo para as mulheres que se dedicam com exclusividade às atividades do lar, é necessário ter regras, pois, apesar de a proximidade ajudar nessa época de férias, é preciso organização para não comprometer o rendimento e as obrigações profissionais.

Uma dica é incluir provisoriamente mais intervalos de 15 minutos durante a rotina de trabalho. Assim, é possível atender, ainda que parcialmente, a demanda dos filhos e até explicar que a atenção exclusiva chegará em breve, após o cumprimento do dever. “Diálogo é fundamental”, finaliza Fabíola.