Em um universo recheado por milhares de opções de tintas, texturas e revestimentos, o concreto aparente, quem diria, tem ganhado espaço em projetos arquitetônicos e de decoração contemporâneos. Elogiado por ser despojado e versátil, o elemento em tom de cinza pode ser usado em diversas possibilidades como colunas, lajes, forros, e até mesmo em paredes inteiras.

Sozinho ou agregado a outros materiais – como madeira, vidro e tijolo –, os profissionais da área garantem que ele dá vida e estilo ao espaço em que está inserido. “O uso de concreto aparente, tanto em ambientes internos quanto em externos e fachadas é uma excelente solução estética, que equilibra economia, qualidade e durabilidade. Já muito difundido no Brasil, é um material fácil de encontrar em qualquer região e que já tem muita mão de obra que sabe trabalhar com ele”, explica a arquiteta Karla Patrícia.

Apesar de muito difundido, há ainda quem confunda o concreto com o cimento queimado, que é um tipo de revestimento, mais liso e polido que é aplicado sobre uma superfície já existente, seja ela piso, parede ou estrutura. “O concreto aparente é a própria estrutura feita em concreto armado, mas sem acabamento, por isso o nome ‘aparente’”, explica. Ambos se tornaram muito usados após serem adotados por grandes mestres mundiais da arquitetura, como Le Corbusier, arquiteto considerado um dos pioneiros do movimento modernista.

“No Brasil, a questão da facilidade de acesso aos materiais, baixo custo de execução e manutenção propagaram o uso de ambos, tanto em habitações, quanto em parques e praças e edifícios”, conta a arquiteta. Um dos exemplos mais lembrados quando o assunto é cimento queimado são os pisos das casas mais simples que também podiam ser coloridos. “Isso porque antigamente as cerâmicas eram muito caras e usadas apenas em obras de alto padrão.”

As vantagens do uso do concreto aparente em ambientes decorativos são diversas. Entre elas, está a versatilidade para se adaptar a áreas externas e internas, com diversos formatos de texturas, que remetem a elementos naturais, além de tijolos de demolição e figuras geométricas. “Não acredito que tenha um local onde o concreto aparente fique melhor, mas sim o que é melhor para o estilo de projeto. Projetos corporativos, por exemplo, são uma boa opção de uso, outro exemplo são as reformas, onde aproveitamos a estrutura e a expomos deixando pilares e vigas à mostra”, enumera Karla Patrícia.

Em Goiás, uma vantagem importante do elemento é que ele é uma excelente opção para manter o clima interno do imóvel estável. O material absorve a temperatura ambiente e a armazena como uma espécie de massa térmica, ao contrário dos pisos espessos ou de concreto revestido. Além disso, o uso do concreto aparente expõe a estrutura nua e crua do cômodo, mas também dá uma sensação de despojamento e modernidade ao ambiente.

Concreto aparente

O concreto é um dos materiais mais utilizados na construção civil e se trata do resultado da combinação entre cimento, areia, ou outros agregados miúdos, pedra brita e água. Nesse processo, o cimento, ao ser hidratado pela água, forma uma pasta resistente e aderente aos fragmentos de areia e de brita. Como o próprio nome já diz, o concreto aparente fica à vista na decoração do ambiente e desconsidera o uso de revestimentos e demais acabamentos para cobrir sua superfície.

Estilo monumental

O arquiteto Oscar Niemeyer foi um grande incentivador do uso do concreto aparente no Brasil. Grande parte dos seus projetos contavam com a presença desse material. Vale lembrar que o concreto aparente quando exposto na fachada do imóvel ou nas demais áreas externas do terreno precisa de aplicação de impermeabilizante, evitando que os blocos fiquem danificados por meio das intempéries.

A escolha de um bom profissional é fundamental para evitar que o efeito seja confundido com o de uma obra inacabada. “A estética do concreto aparente vem com todas aquelas imperfeições que aparecem durante o processo de colocação das formas, de endurecimento da própria massa. A principal vantagem dele é trazer para os ambientes o sinônimo de resistência, versatilidade e modernidade, traços que combinam com as decorações atuais”, analisa a arquiteta Bianca Atalla.

Ele pode ser utilizado tanto em paredes inteiras, preenchendo um cômodo, ou como um destaque de alguma parede específica. Uma dica da profissional é utilizar, tanto o concreto aparente quanto o cimento queimado, com a mescla de madeira, que traz a mistura certa entre o clima industrial e rústico. “Um mix de concreto aparente, madeira, serralheria, vidros mais estilizados e bastante uso de texturas pode trazer aconchego para o ambiente, mesmo que seja um estilo mais forte”, ensina a arquiteta.

O trabalho com o material deve ser feito minuciosamente, já que ele não permite muitos retoques. Se errou, a melhor alternativa é quebrar e fazer de novo. Eventuais correções mais prejudicam do que ajudam. “O ideal é que você tenha um profissional que saiba o que está fazendo para conseguir garantir um resultado mais harmônico.” Um erro bem comum é utilizar o concreto aparente e o cimento queimado em áreas molhadas e não esperar fissuras.

A utilização dos concretos com texturas diferentes e também concretos coloridos estão em alta. “Eles conseguem trazer aspectos mais diferenciados para uma reforma de maneira mais barata do que outros revestimentos que temos no mercado. Acho muito interessante o uso do concreto, por exemplo, na forma de madeira. Os concretos coloridos também trazem a ideia de conseguir pintar o ambiente sem precisar fazer o uso de tinta”, ressalta a arquiteta.