O mês de junho é muito especial para os casais, sejam eles casados, namorados, “namoridos”, enfim, são muitas as denominações nos dias atuais. É exatamente no sexto mês do ano que se celebra o valor da união entre os seres que se amam: o Dia dos Namorados, comemorado em 12 de junho.
 
Nos tempos da internet, isso não é diferente, afinal, há várias maneiras de se conectar a potenciais parceiros, encontrando no universo de aplicativos de relacionamento aquele que melhor atende aos seus anseios. Existem apps que unem pessoas da mesma religião, de países diferentes, de sexos opostos, do mesmo sexo, aquelas que estejam a fim de relacionamento sério ou para apenas se conhecerem sem compromisso... Enfim, basta uma busca rápida para ver como a tecnologia pode estar a favor dessas conexões.
 
Uma chance ao app

 
Enquanto, por um lado, a tecnologia é desenvolvida pensando nas mais criativas formas de aproximar os casais afins, os próprios seres humanos buscam em tais redes a realização de seus sonhos: encontrar o par perfeito.
 
Para a designer Adriana Marinho, entrar em um aplicativo de relacionamento foi uma decisão tomada sem qualquer expectativa. “Eu já tinha ouvido relatos de todos os tipos. Pessoas felizes porque se deram bem em suas investidas, e outras visivelmente amargas com o resultado encontrado”, comenta.
 
No entanto, há cerca de três anos, com a intenção de expandir horizontes e até, quem sabe, conhecer pessoas vindas de outras regiões do país para visitar a capital goiana, Adriana escolheu uma rede que lhe permitisse ver algumas afinidades mantidas com os futuros “pretendentes”. No caso dela, a surpresa foi encontrar o seu amor: o engenheiro Marcus Humberto; e perceber que ambos nutriam uma rede ampla de amigos em comum. “Isso é muito engraçado porque nós dois tínhamos uma série de amigos em comum, mas nunca havíamos nos encontrado. Foi no aplicativo que notamos a existência um do outro”, conta.
 
Muitos amigos, inclusive, vão saber em primeira mão aqui na Ludovica a versão oficial de como Adriana e Marcus se conheceram. Eles ainda acreditam que foram os “culpados” por apresentá-los. “Nós sempre rimos disso porque alguns amigos acreditam que foram responsáveis por nos apresentar. Eles se consideram até cupidos. Nunca tivemos coragem de desmentir porque eles se sentem tão orgulhosos pelo sucesso da nossa união. Mas a gente se conheceu mesmo lá no aplicativo, e a partir dali começamos a construir nossa história”, brinca Adriana.
 
Novos caminhos
 
De lá pra cá muita coisa aconteceu na história do casal. Marcus foi selecionado para trabalhar em Belo Horizonte, quando o namoro tinha apenas seis meses. “Estávamos naquela fase das descobertas, de querer fazer tudo junto, de descobrir o quanto tínhamos de afinidades, e veio a notícia de que ele tinha sido convocado a trabalhar em Minas Gerais. A princípio, meu mundo se abalou. Mas, depois, pensando com calma, percebi que eu teria o papel de estimulá-lo a viver essa realização profissional e que poderíamos encontrar juntos uma maneira dessa união dar certo”, diz a moça.
 
A mudança de Marcus para a nova cidade não foi um fator limitador ao amor dos dois, que encontrou formas de estarem juntos, fazendo pequenas viagens, esticando feriados prolongados e desbravando as maravilhas de um novo estado, repleto de história e uma rica gastronomia. Todo o charme das cidades históricas mineiras, além da própria capital, são cenários que inspiram o casal a desvendar a cultura mineira, em passeios que envolvem museus, a região serrana e seus famosos queijos da Canastra, entre muitos outros lugares. Juntos, o casal tem descoberto ainda mais afinidades, gostos e aromas que temperam a relação.
 
No caso de Adriana e Marcus o amor conseguiu romper as barreiras virtuais e geográficas para prosperar rumo à felicidade conjunta. Seria esse um exercício diário de força de vontade para fazer com que uma relação dê certo? Qual é o ingrediente fundamental para que todo romance prospere, dê frutos e se eternize na vida de quem se permite apaixonar? Eis uma reflexão para todos nós.