De acordo com informações divulgadas pelo Centro de Gestão e Estudos Estratégicos, o número de títulos de mestrado e doutorado cresceu 379% e 486%, respectivamente, entre 1996 e 2014, no Brasil. Os dados apontam ainda que os títulos de pós-graduação triplicaram no mesmo período com a criação de novos cursos.  Mas as possibilidades que sucedem à faculdade não se resumem a mestrados e doutorados. Dados da consultoria em recrutamento Catho mostram que profissionais sêniors ganham até 20% a mais ao concluírem qualquer tipo de pós-graduação.
 
Modalidades

Separadas em latu e strictu sensu, as pós-graduações variam de acordo com as áreas profissionais. Quando classificadas em strictu sensu referem-se a mestrados, doutorados, pós-doutorados e livre docência, ou seja, são evoluções dentro dos níveis de pesquisa, onde cada passo dado confere um novo título: mestre, doutor, pós-doutor e livre docente. Já a pós-graduação latu sensu é formada pelos cursos de especialização e Master in Business Administration (MBA), que compartilham a característica de serem mais focados na aplicação das teorias e conferem ao final o título de especialista na área estudada.
 
Latu Sensu

Dentro da latu sensu, o MBA oferece uma visão gerencial, com a característica de preparar o profissional para a tomada de decisões em nível de gestão, oferecendo um viés administrativo da área a qual se dedica.
 
As modalidades são divididas em cursos prolongados ou de curta duração, presenciais ou online e, ainda, os cursos corporativos. As áreas mais procuradas para cursos de pós-graduação latu sensu são aquelas aplicáveis às grandes empresas, como gestão de pessoas, gestão financeira, gestão comercial, administração de empresas, marketing, entre outros.
 
Estudo dentro das empresas

Os cursos In Company também se consolidam dentro das opções. Personalizados para atender às necessidades de qualificação e projeção das empresas, eles são oferecidos em parceria entre a empresa e instituições de ensino, que desenham o formato ideal de conteúdo e aplicabilidade dentro do cenário específico vivenciado pelos funcionários e os resultados almejados pela corporação.
 
Conhecimento, seja qual for o caminho

O investimento em conhecimento alcança não só quem sonha em dar aula em faculdade ou ser executivo em uma multinacional, mas jovens que buscam crescimento no próprio negócio. Uma pesquisa da Confederação Nacional de Jovens Empresários (Conaje) mostrou que 30% dos jovens empreendedores têm dificuldades em gestão financeira, 27% em gestão de pessoas, 25% no planejamento, 12% em marketing, entre outros desafios. Vale lembrar, portanto, que a expertise de um profissional bem formado, com competências e habilidades desenvolvidas para o mercado, pode gerar excelentes resultados para si próprio e para seus contratantes.