Não há dúvidas de que receber os amigos e poder interagir com eles, mesmo durante o preparo da refeição que será servida, é um prazer desejado pela maioria das pessoas que apreciam momentos de confraternização. Tanto que essa vontade é determinante em projetos arquitetônicos, incluindo os de salas e varandas gourmets integradas com a cozinha.

Mesmo com essa integração, a mesa dentro da cozinha ainda é considerada indispensável. Os modelos se adaptam ao tamanho e estilo do ambiente, podendo ser quadradas ou redondas, em um cantinho, com cadeiras, sofás ou banquinhos. A dica dos decoradores é planejar.

A cozinha da mama 

A arquiteta Adriana Mundim explica que a mesa na cozinha é essencial e, se houver espaço, ela deve ser priorizada. A profissional acredita que esse é um ambiente de ponto de encontro, com aromas e sabores que ficam gravados na memória e no subconsciente das pessoas. “É um local acolhedor, que fica na lembrança como o espaço de convivência familiar”, disse. 

Em um recente trabalho de Adriana, mesmo com amplo living com duas mesas e espaço para recepção na área social do apartamento, a cozinha recebeu uma mesa com capacidade para até 6 lugares. Como diferencial, foi incluída uma bancada para produção de alimentos acoplada, o que garante interatividade de quem prepara com quem aprecia a refeição. Segundo a arquiteta, a escolha desse modelo foi feita pensando na “cozinha da mama”, onde a família se reúne informalmente para refeições de maneira descontraída e unida. 

Refeições rápidas e momentos intimistas

O arquiteto e urbanista Victor Tomé também projetou recentemente um apartamento que incluiu a mesa da cozinha na proposta. “Ela foi incluída porque a gente acredita que, no dia a dia, os moradores vão querer fazer as refeições mais rápidas e mais intimistas na cozinha”, explica. O espaço gourmet fica para os almoços e outros eventos da família. 

A capacidade da mesa é para seis pessoas graças ao uso do canto alemão, um recurso que confere charme ao ambiente, lembrando a informalidade das lanchonetes. “O modelo com sofá e duas poltronas traz também aconchego para o local”, finalizou. O espaço também pode ser útil aos funcionários da residência.

Canto alemão 

A mesa na cozinha não é um artigo que apenas imóveis maiores podem ter. A arquiteta Adriana Mundim explica que, quando bem planejado, apartamentos de medidas menores também podem ser contemplados com a praticidade que a mesa na cozinha pode trazer. Ela aplicou um exemplo em um outro projeto de 111 metros quadrados. Mesmo com sala e cozinha integradas, a arquiteta colocou uma pequena mesa redonda com canto alemão em estofado para pequenas refeições. 

O arquiteto Victor Tomé acrescenta: quando a cozinha é pequena e não cabe a mesa, ele cria outras opções para acolher os moradores no ambiente. “Normalmente uso o balcão com banquetas para que haja esse espaço intimista”, diz.