Abajures são grandes aliados na hora de criar aquele clima. Já pendentes e plafonds desempenham funções bem específicas: um fornecendo luz pontual, o outro, mais geral. Combinados a outras peças como spots, arandelas, luminárias de piso e de mesa, eles podem fazer muito pela decoração de qualquer ambiente. Mas, para conseguir bons resultados, é essencial optar pelo modelo certo para cada situação.

Tudo isso, claro, levando em consideração o tipo de lâmpada utilizada. A partir de sua cor, intensidade de emissão e ângulo de abertura, é possível obter resultados completamente diversos. Portanto, o primeiro passo para evitar surpresas é testar a peça ainda na loja – tudo pode ser bem diferente quando você chegar em casa. Para orientar sua escolha, acompanhe nosso roteiro:

Luminária de coluna

Também conhecidas como luminárias de piso, em termos de efeitos produzidos dependem fundamentalmente da sua altura, formato e material empregado na cúpula. A partir disso, podem fornecer iluminação direta, ou indireta (quando há rebatimento no teto). Em geral, ficam ótimas em cantos, pois ocupam pouco espaço e iluminam de forma suave e uniforme – por vezes, até eliminam a necessidade de um ponto central, a depender da lâmpada empregada. O modelo da foto, da Labluz, com regulagem de altura, custa R$ 2.195.

Plafond

É indicado para a iluminação geral de determinado ambiente. São fixados diretamente nas lajes, ao contrário dos modelos de embutir, que necessitam de rebaixo de gesso. O desafio é conseguir distribuir a luz por todo o ambiente a partir de um único ponto de luz. Assim, quanto maior o ambiente, maior deve ser a peça, assim como a quantidade de lâmpadas. Além disso, considere a questão estética ao optar por um modelo. Fica muito desproporcional instalar um plafond pequeno em meio a um teto enorme. A peça da foto, da C&C, para duas lâmpadas, com acabamento em cobre, custa R$ 239,99.

Abajur

Talvez a peça mais clássica do mundo das luminárias, é também a que mais intimamente se relaciona com a decoração. Por isso, o tamanho da cúpula, assim como a altura da base, devem obedecer a uma certa proporção com relação aos móveis e ao pé-direito. Disponíveis em uma infinidade de modelos e formatos, se dividem, basicamente, entre corpo e cúpula. Mas, enquanto a parte que serve de suporte exerce uma função meramente decorativa, a escolha da cúpula exige mais atenção. A partir de seu material (linho, algodão, metal, palha, vime e até plástico) são definidas a qualidade e a intensidade da luz emitida. Fator que deve orientar a escolha, principalmente se a peça for empregada na mesa de cabeceira, servindo de apoio à leitura. “Caso a cúpula seja feita de fibras naturais, o ideal é que sejam trocadas a cada 5 anos para não interferir na qualidade da luz emitida”, alerta Mariana Amaral, proprietária e designer da Itens Collections, que assina o modelo da foto.

Luminária de mesa

Mais do que nunca na ordem do dia, por conta do isolamento social, que gerou a necessidade de trabalhar ou estudar em casa, elas são encontradas em uma grande variedade de modelos e realmente podem ser úteis para auxiliar nas tarefas que exijam luz concentrada, ou para quem tem de trabalhar deixando o espaço ao redor mais escuro. Idealmente em combinação com outra luz indireta, são recomendadas para os momentos de criação, reunião e pausa. O único cuidado a se evitar é o reflexo da lâmpada na tela do computador. Da Americanas.com, a peça articulável da foto sai por R$ 209,99.

Spots

São indicados para proporcionar iluminação direta e com foco fechado em pontos específicos. Sejam eles quadros, esculturas ou demais pontos de interesse. Em modelos de sobrepor – que ficam externos –, 100% da iluminação produzida pela lâmpada é repassada ao ambiente. Nas lojas Yamamura, o modelo da foto custa R$ 179,55.

Pendente

Recebe essa denominação por ser instalado de forma suspensa, com a fonte de luz instalada na ponta inferior. São muito utilizados para efeitos decorativos, embora não deixem a desejar do ponto de vista funcional, desde que observadas certas regras. A começar pela cúpula: se translúcida, a luz será emitida para todo o ambiente. Do contrário a emissão será pontual, criando um foco mais intenso em locais específicos, como mesas de refeições, por exemplo. Nas lojas Yamamura, o pendente com cúpula de metal da foto sai por R$ 244.

Arandela

São aquelas luminárias que ficam fixas nas paredes, produzindo luz indireta. Na hora de escolha, o primeiro fator a considerar é o local onde ela será instalada. Podem iluminar tanto ambientes internos quanto externos, desde que adaptadas a cada função. O modelo da Labluz, criado pela designer Cristiana Bertolucci, custa R$ 649.