Hoje em dia é muito comum ouvir de amigos e conhecidos a seguinte frase: “Estou estressado”. Alguns falam isso por força do hábito, mas não estão verdadeiramente estressados. Outros vivem uma rotina desgastante que realmente gera estresse. Mas a verdade é que a maioria poderia sofrer menos impacto dos fatores estressores se cuidassem de alguns aspectos importantes da vida. Então, trouxe algumas dicas que podem ser poderosas aliadas na conquista de mais bem-estar nesses tempos de cotidianos desgastantes.
 
Dica 1: invista tempo para observar-se, para perceber suas emoções, sensações corporais e reações comportamentais diante dos fatos cotidianos. Não viva no piloto automático. Olhe para si. Perceba como as atitudes dos outros e os eventos externos impactam a sua experiência interna - mental, emocional e corporal. Uma percepção realista de si mesma possibilita que você reaja aos fatores estressantes do dia a dia de forma mais saudável e menos reativa. Então, reserve um tempo do dia para se colocar como objeto de observação e análise. Invista tempo e energia no processo de autoconhecimento. 

Dica 2: seja generosa com você, exercite a autoaceitação. Acolha todas as partes de si, as boas e as não tão boas assim. Aceite seus erros e limitações e celebre acertos e potencialidades. Invista em atividades que coloque em evidência suas potencialidades, que explore talentos e habilidades. Olhe para suas limitações de forma realista, veja o que você já tem condições de melhorar e aperfeiçoar e aceite o que precisa aguardar mais um tempo de amadurecimento e de conquistas internas. A mudança só é possível quando você se aceita. Enquanto você se julga e critica, você perde energia que poderia ser investida no processo de crescimento. Da mesma forma, se não investir na dica 1, você não terá condições de se enxergar verdadeiramente e, assim, aceitar quem é. Uma percepção realista de si mesma, associada à autoaceitação, pode ser uma fonte geradora de energia de transformação e crescimento pessoal.
 
Dica 3: aprenda a regular seu comportamento. Deixe de lado as frases do tipo: “Eu sou impulsiva mesmo, eu não consigo me comprometer com isso, eu não consigo mudar”. Todos nós temos condições de conquistar novas atitudes. É preciso descobrir quais habilidades estão faltando para que você tenha os comportamentos desejados e, assim, correr atrás para conquistá-las. A regulação do próprio comportamento é um processo de aprendizagem que exige observação, percepção de si mesmo, ampliação de consciência, comprometimento e dedicação. E para isso precisamos colocar em prática as dicas 1 e 2. Se você não quer olhar para os seus erros, não se aceita na sua integralidade, fica apontando o dedo para fora e perde a chance de conquistar comportamentos mais adequados ao que deseja para sua vida. 

Dica 4: tenha uma percepção realista do mundo. E veja bem! Isso não quer dizer ser negativa ao extremo e nem fantasiosamente otimista. Significa enxergar os fatos como eles são e enxergar a sua contribuição para que as coisas estejam acontecendo dessa maneira. Entenda que tudo o que acontece na sua vida tem a ver com você, com a forma como está reagindo às pessoas e aos fatos. Olhe para o que você pode fazer, porque na verdade essa é a única possibilidade concreta de ação – a ação que parte de você. Não espere que o outro faça por você e para você.  

Dica 5: cuide dos seus relacionamentos. Nada melhor para aliviar o estresse do dia a dia do que um encontro com uma amiga, um abraço acolhedor e uma boa conversa. Perceba se na sua rotina atribulada você está abrindo espaço para se relacionar com as pessoas. Invista tempo para observar como você tem se comunicado com os outros e como pode melhorar essa comunicação. Perceba o que você pode fazer para cultivar relações positivas que de fato agregam valor à sua vida e à vida do outro. 

Dica 6: crie espaços para relaxamento, lazer e diversão na rotina diária. Não apenas no final de semana, mas todos os dias. Alguns minutos dedicados ao relaxamento, entre atividades estressantes, podem ser revigorantes. Coisas simples, nada muito complicado: ouvir uma música que gosta com atenção plena, respirações profundas acompanhadas de alongamentos de partes tensas do corpo, breves períodos de meditações, uma boa noite de sono com o aroma de óleo essencial de lavanda para relaxar mais profundamente, atividade física que lhe dá prazer... Enfim, investigue, experimente, crie condições de relaxamento e descontração durante toda a semana e não somente aos sábados e domingos.
 
Dica 7: cuide da produtividade no trabalho. Avalie se o que você está fazendo realmente te realiza e dá prazer. Use habilidades e competências, realize tarefas que coloque seus talentos em evidência. Encontre um sentido para o que está fazendo. E se tudo estiver sem sentido, comece a planejar uma transição de carreira, dando pequenos e constantes passos em direção a uma maior realização profissional. Sinta se essas dicas fazem sentido para você e, se fizer, coloque-as em prática. 

*Yara Carvalho é pedagoga, psicopedagoga e especialista emocional. Tem pós-graduação em Psicologia Analítica e Psicologia Transpessoal e várias formações na área de desenvolvimento humano, inteligência emocional, relacionamentos interpessoais e Psicologia Positiva. É facilitadora de programas de autoconhecimento e desenvolvimento da inteligência emocional e de workshops para pais que desejam investir em seus relacionamentos familiares e na educação emocional dos filhos. 
 
Os comentários publicados aqui não representam a opinião da plataforma e são de total responsabilidade de seus autores.