A música para piano a quatro mãos ocupa lugar de destaque no repertório camerístico. Constitui-se em excelente motivação para pianistas e importante ferramenta pedagógica no ensino do piano. Foi na passagem do século 18 para o 19 que surgiram as primeiras transcrições para piano a quatro mãos, que logo se tornaram o principal meio de divulgação da música sinfônica, música de câmara e outros gêneros (não podemos esquecer que naquela época não havia outros meios de comunicação como o rádio e as gravações tão comuns atualmente).

O sucesso desse repertório foi tão grande que provocou um enorme número de transcrições de outras formas musicais como: oratórios, trechos de ópera, danças populares e todo tipo de obras dedicado tanto para amadores, visando a prática doméstica de música, como para pianistas profissionais, impulsionando os compositores a escrever peças originais para este gênero.

A relevância desse momento musical é muito bem relatada por Cameron McGraw no prefacio de seu trabalho sobre o repertório de piano a quatro mãos: “O assombroso crescimento que teve a literatura de quatro mãos a fez tornar tão popular que acabou se constituindo numa instituição social da crescente classe média. [...] O dueto de piano é um caso único onde ocorre uma performance musical de duas pessoas, usando plenos recursos de um só instrumento, podendo executar com muita eficácia uma obra escrita originalmente ou especialmente arranjada para esta formação. Além disto, possui um repertório surpreendentemente abundante e de notável diversidade.”

No Brasil, considerando que a partir de meados do século 19 o piano se tornou o instrumento preferido da sociedade brasileira, a partir, especialmente, desenvolvimento da prática domestica de música em saraus familiares, surgiram os duos de piano a quatro mãos e, com eles, um repertório de transcrições e obras originais de compositores nacionais. 

No próximo dia 7 de junho os goianos poderão ouvir o renomado duo de piano a quatro mãos Bretas-Kevorkian, formado por Patrícia Bretas e Josiane Kevorkian.  Neste ano, o duo completa 22 anos de atividade ininterrupta sendo referência no Brasil com estilo marcante na execução de músicas brasileiras e obras internacionais pouco frequentadas.

 A apresentação de quarta-feira, às 20h30min, no Auditório do Sesc Cidadania, terá entrada franca. O concerto com o duo Bretas-Kevorkian faz parte da Temporada Especial de 10 Anos dos Concertos em Goiânia, que possui apoio institucional do Fundo de Arte e Cultura de Goiás e do governo estadual por meio da Secretaria de Estado da Educação, Cultura e Esporte (Seduce). A série tem o objetivo de fomentar a música erudita com apresentações em grupo e recitais solo com célebres artistas.  
Ouviremos, com o Duo Bretas-Kevorkian, a obra Frevo para piano a quatro mãos do compositor brasileiro Ronaldo Miranda (1948). Essa obra foi uma encomenda do Centro Cultural do Banco do Brasil para o compositor em 2004. Frevo vem do vocábulo “frever” ou ferver, em alusão ao comportamento efervescente da multidão, dançando ao som das sincopas contagiantes dessa dança carnavalesca nas ruas estreitas do Recife, em Pernambuco. A linguagem harmônica da obra revela a maturidade do compositor que utiliza uma livre combinação de elementos tais como: politonalismo, modalismo e o emprego de estruturas quartais.

Serviço:

Concertos em Goiânia – Temporada Especial de 10 anos
Duo Bretas-Kevorkian
Patrícia Bretas e Josiane Kevorkian, piano a 4 mãos
Dia 7 de junho (quarta-feira)
Auditório do Sesc Cidadania (Av. C-197 c/ Av. C-198, Jardim América, Goiânia)
Horário: 20h30
Entrada Franca
Site: www.concertosemgoiania.com
Facebook e Instagram: @concertosemgoiania

*Gyovana Carneiro é professora da Escola de Música e Artes Cênicas da UFG, doutora em Ciências Musicais pela Universidade Nova de Lisboa – Portugal. Promove séries de Concertos em Goiânia.

Os comentários publicados aqui não representam a opinião da plataforma e são de total responsabilidade de seus autores.