Encerrando o Mês das Mulheres, revisitaremos um assunto já abordado em postagens anteriores. A triste realidade de mulheres silenciadas pelo gênero no universo da música clássica, em especial Nannerl. A austríaca apelidada de Nannerl (Maria Anna Mozart) foi exibida como criança prodígio junto ao irmão Mozart, tocando diante da realeza por toda a Europa. No entanto, ao atingir a puberdade, foi empurrada pelo pai para os papéis de gênero mais tradicionais: filha submissa, esposa do homem que o pai escolheu, mãe.  

Maria Anne Mozart foi uma musicista de grande talento que, infelizmente, devido os costumes sociais do século 18, passou para a história apenas como irmã de Mozart. Nannerl não passa de uma nota de rodapé na história do afamado irmão. Depois de ser deixada para trás, enquanto o pai Leopold Mozart e o irmão continuavam a turnê, Nannerl escreveu uma canção e os mandou. Não existem registros da obra. No entanto, a reação do irmão Mozart foi encontrada em uma carta endereçada à irmã.  “Eu não consigo acreditar que você componha tão bem. É lindo”, escreveu.  

Maria Anna e Wolfgang foram os dois únicos filhos sobreviventes de Leopold e Anna Maria Mozart. Nannerl foi a primeira grande inspiração do irmão mais novo. Iniciou os estudos no teclado com o pai, aos sete anos de idade, logo se revelando, como o irmão, uma sumidade. Alguns pesquisadores afirmam que Nannerl era mais talentosa ao piano do que Wolfgang. Infelizmente, foi impedida de se dedicar a composição, já que a profissão de compositora não era socialmente aceita.

A história de Nannerl é contada em filme datado de 2010, “Mozart´s Sister”, relatando o direito negado a Nannerl de ser uma compositora por ser uma mulher. A obra de Nannerl Mozart praticamente não existe. Mas ouviremos do álbum “Mozart: Nannerl Notenbuch - Menuet in F Major”, interpretado por Alessandro Deljavan. 

*Gyovana Carneiro é professora da Escola de Música e Artes Cênicas da UFG, doutora em Ciências Musicais pela Universidade Nova de Lisboa – Portugal. Promove séries de Concertos em Goiânia.

Os comentários publicados aqui não representam a opinião da plataforma e são de total responsabilidade de seus autores.