No último final de semana, dias 13 e 14 de outubro, aconteceu o evento Les Journées Particulières, uma iniciativa da qual participam as grandes casas de moda a nível mundial. Um dia onde grandes maisons abrem as portas de suntuosos salões, antigos palácios, laboratórios artesanais e oferecem a um público determinado a oportunidade de uma visita guiada ou em total liberdade a esses lugares geralmente inacessíveis. É realmente uma oportunidade única de conhecer a história e os segredos dessas grandes marcas.
 
Como blogueira Ludovica, fui convidada pela marca Emilio Pucci a acompanhar a textile designer e fashion innovator, Ivana Cerisara, para uma visita guiada ao histórico Palácio Pucci, em Florença, um verdadeiro tesouro renascentista. Esse incrível local é a residência da família Pucci desde o século 13. Atualmente, a herdeira da marca, Laudomia Pucci, vive no palácio.

É também o lugar onde nasceu a Maison Emilio Pucci e onde se encontra o arquivo histórico de todas as coleções da marca, os laboratórios de costura e a primeira loja. Essa foi a primeira vez na história que as portas dessa incrível residência se abriram para visita. E também, pela primeira vez, foi possível descobrir o trabalho desenvolvido para tutelar o próprio patrimônio cultural e entender a influência dessa herança na atual identidade da marca.

A visita foi com horário marcado e desde os primeiros passos tudo foi de grande impacto e surpreendente, algo realmente mágico. Girar pelos magníficos salões dessa residência histórica já é algo incrível, mas quando essa experiência se une a atmosfera de uma grande maison de moda, onde a beleza e a criatividade são as maiores protagonistas, tudo se torna difícil de descrever com as palavras. A decoração atual é uma grande homenagem às cores. Após uma recente restauração, que contou a colaboração de Piero Lissoni, os antigos corredores e salões foram decorados nas tonalidades “Capri Blue”, um azul celeste, e “Emílio Pink”, rosa pink. Cores essas ícones da maison, que revestiam os armários renascentistas da primeira boutique histórica de Emilio Pucci. 

O resultado é realmente lindo, um elo de perfeita sintonia entre o antigo e contemporâneo. Tapetes azuis e rosa cobrem todo o piso do palácio e cadeiras de design, revestidas com tecidos da coleção, criam cenários de maravilhar os olhos. Fiquei especialmente encantada com a grande “Sala Branca”, onde se realizavam os desfiles nos anos 1950, e com a poltrona UP, de Gaetano Pesce, revestida com tecidos da marca. Um percurso que nos permite viajar através da alta moda, do design, da história, da cultura, da arte e da beleza. 

As imagens abaixo contam melhor que as palavras:   

* Lenise Alves de Castro é goianiense/vilaboense, vive na Itália, é designer de interiores e trabalha em um estúdio de arquitetura em Milão. Ama design, história da arte, móveis, linhas curvas, artesanato, rios, azul, vinhos italianos e empadinhas de Goiás.

Os comentários publicados aqui não representam a opinião da plataforma e são de total responsabilidade de seus autores.