Quantos sabores você conhece? Bem, basicamente conseguimos diferenciar cinco gostos: salgado, doce, azedo, amargo e umami (que é reconhecido por nosso paladar quando comemos alimentos que possuem substâncias chamadas de aminoácidos, representados principalmente pelo ácido glutâmico ou glutamato, e nucleotídeos). 

No entanto, existem pessoas que não sentem gosto (ageusia). Já algumas sentem apenas um pouco (hipogeusia). Outras distorcem o gosto (cacogeusia). Há aqueles que sentem um gosto mesmo na ausência dele (fantogeusia).  E outros, casos mais frequentes, sentem um gosto persistente, mesmo na ausência dele (são o que chamamos de disgeusi). Os normogeusicos são as pessoas que tem a função normal da gustação.

Quem tem o paladar e a gustação sem alterações não imagina o que é ter fome e sentir enjoo ao comer ou não sentir vontade de comer. Ver que está comendo uma coisa, mas sentir o gosto de outra ou, simplesmente, sentir um "gosto ruim" que permanece em boa parte do tempo em que a pessoa está acordada.

Para sentir o gosto dos alimentos, precisamos de um estímulo: a bendita saliva. Ela é a responsável por estimular os receptores gustativos que nos possibilita distinguir um gosto do outro. E não é só a língua tem o poder da percepção gustativa. Os receptores vão da língua, palato (céu da boca), lábios, bochechas, faringe, esôfago, estômago e até intestino. No entanto, as papilas linguais são as maiores responsáveis pela diferenciação do gosto.

Mas se não tiver saliva, tudo fica muito comprometido, incluindo, é claro, a saúde bucal.  É a saliva que remove o estímulo gustativo do poro da papila, renovando para que a percepção de outro gosto possa ser sentido. Ela serve como "solvente". Por isso, pessoas que não produzem saliva em quantidade e/ou qualidade ideais, normalmente apresentam a despapilação lingual, que é a atrofia das papilas da língua.

Infelizmente, não é só o gosto das coisas que fica alterado na ausência da saliva. P paladar também fica. E paladar é diferente de gosto. Paladar é a soma dos estímulos sensoriais da visão, tato, olfato, dor, gosto e da temperatura (térmico). Por isso, muitas vezes as pessoas se queixam de halitose (mau hálito) quando na verdade o problema que ela apresenta é um transtorno gustativo e/ou sensorial. Na maioria das vezes, os casos são de disgeusia.

Veja as causas mais frequentes que levam a disgeusia:

- Alterações salivares;
- Metais presentes na boca (correntes galvânicas);
- Doenças bucais; 
- Produtos usados para higiene bucal;
- Câncer (radioterapia/quimioterapia);
- Alterações hormonais; 
- Medicamentos;
- Álcool;
- Fumo;
- Diabetes;
- Deficiências nutricionais; 
- Refluxo gastroesofágico; 
- Gripes;
- Ansiedade;
- Estresse;
- Paralisia de Bell;
- Esclerose múltipla; 
- Síndrome de Sjögren.

As pessoas que sofrem com a disgeusia são pessoas mais tristes, deprimidas, que relatam perda de peso, de vontade de viver. Algumas ficam chorosas, angustiadas, estressadas, irritadas e se afastam do convívio social. Elas têm o sono comprometido e são sensíveis na maioria das vezes aos alimentos quentes e ácidos. Isso também acontece com pessoas que sofrem com a Síndrome da Ardência Bucal, de ardência bucal, assialia, hipossialia, sobremedicação ou, ainda, pessoas em tratamento para o câncer.

A primeira providência é consultar um cirurgião-dentista que saiba diagnosticar e tratar as alterações salivares. Nenhum profissional pode dizer que o seu pH bucal é ácido ou que você não produz saliva sem ter realizado a sialometria (exame que avalia a saliva na sua quantidade e qualidade). É bem comum pacientes se queixarem de excesso de saliva, quando na verdade está faltando. Há, ainda, pacientes que não se queixam de boca seca (xerostomia), mesmo apresentando baixo fluxo e qualidade salivar. Então, a saliva é um assunto muito complexo.

Acredito que a saliva deveria ser avaliada como você faz a sua avaliação sanguínea. Pois se você não tem saliva, posso afirmar que você não tem saúde bucal e, por isso, tem a saúde sistêmica muito comprometida. Aqui no meu blog você encontra várias dicas para aumentar a produção salivar. No meu Instagram (@_karynemagalhaes) dou dicas, às vezes, de alimentos que estimulam a produção salivar e te fazem colocar as glândulas salivares para trabalhar. Vai lá, me siga e faça a minha receita maravilhosa de granola saudável. Ah, depois me conta se deu certo.

*Karyne Magalhães é cirurgiã-dentista, habilitada em Laserterapia e qualificada no tratamento da Halitose, vice-presidente da Associação Brasileira de Halitose (Abha), membro da Associação Brasileira de Odontologia (ABO-GO) e membro da Sociedade Brasileira de toxina botulínica e implantes faciais (SBTI). Acesse karynemagalhaes.com.br e botoxgoiania.com.br.

Os comentários publicados aqui não representam a opinião da plataforma e são de total responsabilidade de seus autores.