Você é do tipo de pessoa que só acredita naquilo que pode ver? Tomara que não. Digo isso porque precisamos falar sobre os cuidados que devemos ter com a nossa saúde. Mais especificamente, sobre o cuidado com as contaminações microbianas. Afinal, não está nada fácil. É cada vez mais difícil combater e inativar micro-organismos. No então, ainda assim tem gente que não acredita nisso porque não vê.

Recentemente participei de um congresso que debateu as aplicabilidades clínicas do laser na odontologia e na saúde. E lá confirmei novamente que ainda não há micro-organismos resistentes a chamada terapia fotodinâmica antimicrobiana (aPDT). Entretanto, isso ainda não é o suficiente para "esterilizarmos" nada. Sabemos que uma descontaminação humana, de ambiente ou de objetos nem sempre é segura e efetiva. Afinal, como sempre digo, na saúde nada é exato. E no congresso, vi que muitos outros profissionais comprovam e estudam exatamente isso, confirmando aquilo que a gente apenas tira conclusões.

A aPDT é a utilização de uma luz (led ou laser) com corante fotossensibilizante na presença de oxigênio, que tem por intuito inativar a flora microbiana que altera a nossa saúde. É claro que o processo não é tão simples e não é só isso, a começar pelo diagnóstico e plano de tratamento. Mas hoje há muitos estudos que comprovam os benefícios desse procedimento. Ele faz parte das nossas tentativas na promoção da saúde e tratamento das doenças humanas e animais.

A terapia fotodinâmica pode complementar e, em alguns casos, substituir o uso dos medicamentos antimicrobianos. E o que se tem de novo são estudos sobre agentes fotossensibilizantes e luzes para diversas partes do corpo. Entretanto, estamos nos preparando e ainda é cedo. Percebo que agora fazemos uso das luzes com sucesso. Mas acredito que em um futuro muito próximo, luzes (led/laser) servirão para diagnóstico e tratamentos não invasivos. A maior vantagem da aPDT é não promover resistência bacteriana, como acontece com os antimicrobianos, que com o tempo se tornam seletivos. Essa é uma terapia segura e eficaz que não causa reações adversas.

Isso não quer dizer que você deve deixar a terapia convencional. A aPDT "funciona", mas há casos que instituir apenas uma terapia não vai adiantar. O melhor é optar pelas terapias convencionais que têm muito tempo de estudo e associar as terapias complementares e integrativas, como é o caso da laserterapia e da aPDT. E embora os estudos estejam caminhando bem, o que você melhor pode fazer é se proteger contra as doenças provocadas pelo desequilíbrio dos micro-organismos.

Anote essas dicas:

- Mantenha a sua higiene pessoal em dia.
- Quando pegar em dinheiro ou usar o banheiro, lave as mãos.
- Evite compartilhar talheres, copos e outros utensílios.
- Vai transar? Use preservativo.
- Check-ups médico e odontológico devem ser periódicos.
- Mantenha suas vacinas em dia.
- Evite colocar as mãos na boca e olhos.
- Beba água para manter a sua saúde salivar e a proteção bucal.
- Cuide da limpeza do ar condicionado da sua casa e trabalho.
- Pratique atividade física para elevar sua imunidade.
- Tenha uma alimentação saudável.
- Evite o uso de cigarros e bebidas alcoólicas em excesso.
- Durma bem para descansar o corpo e a mente.
- Tenha momentos de lazer.
- Trabalhe com o que você gosta.
- Não use medicamentos sem prescrição. Não se automedique!
- Seja mais feliz, pois esse sim é o melhor "remédio".

Para saber mais sobre esse assunto, clique aqui.

*Karyne Magalhães é cirurgiã-dentista, habilitada em Laserterapia e qualificada no tratamento da Halitose, vice-presidente da Associação Brasileira de Halitose (Abha), membro da Associação Brasileira de Odontologia (ABO-GO) e membro da Sociedade Brasileira de toxina botulínica e implantes faciais (SBTI). Acesse karynemagalhaes.com.br e botoxgoiania.com.br.

Os comentários publicados aqui não representam a opinião da plataforma e são de total responsabilidade de seus autores.