A anamnese é uma investigação clínica realizada por profissionais da saúde. Ela é realizada para que esses profissionais se inteirem sobre o estado de saúde passado, atual e sobre os hábitos de vida do paciente a fim de complementar os exames clínicos, laboratoriais e de imagens. É a partir dela que se supõem diagnósticos, solicitam-se exames e planejam-se tratamentos. 

Para muitas pessoas, principalmente as que estão receosas e ansiosas por um diagnóstico ou tratamento, se consultar com um profissional da saúde nem sempre é tranquilo. Por isso, ao comparecer às consultas, pedimos aos pacientes que levem exames passados caso haja necessidade de comparação e bulas das medicações administradas no momento. Muitas vezes, o paciente se esquece de dizer que é alérgico a algum medicamento, se esquece de alguma doença que teve, deixa de informar que usa marca-passo e omite alguma informação que possa ser importante.

Um marca-passo é um aparelho que controla os ritmos cardíacos. Quem acompanha o portador de marca-passo é o médico cardiologista. É ele quem faz a cirurgia para inserção do aparelho e realiza o controle periódico necessário. Algumas alterações do sistema cardiovascular requerem cuidados específicos, necessitando, no entanto, do acompanhamento multiprofissional quando se requerem procedimentos mais invasivos, como cirurgias, por exemplo. 

Na odontologia, é muito frequente fazermos a profilaxia (limpeza dental) com um aparelho que se chama ultrassom. O ultrassom, no entanto, é contraindicado para portadores de marca-passo, assim como o uso dos eletroestimuladores (TENS) para desprogramação da oclusão (mordida) e estimulação salivar, medidores eletrônicos utilizados nos tratamentos de canais e bisturi elétrico, que algumas vezes são usados nos procedimentos cirúrgicos. 

Acontece que nem sempre o paciente se lembra de informar e o profissional também pode se esquecer de perguntar.  Então, se você usa marca-passo, não se esqueça de que essa é uma informação extremamente importante e que você jamais a pode omitir, correndo o risco de parada cardíaca. Caso esqueça de informar, o portador de marca-passo que usou algum desses aparelhos elétricos deve agendar uma consulta com o seu cardiologista para verificar se houve alguma desregulação.

Além dessas informações, muitas vezes, antes de procedimentos odontológicos em pacientes com comprometimento cardiovascular, há necessidade de se fazer a profilaxia antibiótica (proteção) quando há risco de gerar qualquer tipo de sangramento. Nos tratamentos odontológicos são comuns pequenos sangramentos por mais cuidados que se tenha. Mas atenção: a cobertura antibiótica é decidida por ambos os profissionais (cirurgião-dentista e cardiologista) conforme o risco. E em alguns casos, pode ser necessário sedação ou tratamento em ambiente hospitalar. O plano de tratamento odontológico é realizado pelo cirurgião-dentista e, havendo necessidade, o mesmo entrará em contato com o cardiologista que acompanha o paciente. Antes pecar pelo zelo que pecar pelo desespero. Prevenção é a melhor forma de tratamento.

*Karyne Magalhães é cirurgiã-dentista, habilitada em Laserterapia e qualificada no tratamento da Halitose, vice-presidente da Associação Brasileira de Halitose (Abha), membro da Associação Brasileira de Odontologia (ABO-GO) e membro da Sociedade Brasileira de toxina botulínica e implantes faciais (SBTI).Acesse saudesalivar.com.br e botoxgoiania.com.br.

Os comentários publicados aqui não representam a opinião da plataforma e são de total responsabilidade de seus autores.