A notícia da morte da Musa do Brasil trouxe à tona a velha discussão que sempre ocorre quando um paciente morre por omitir algum dado na anamnese (histórico de vida), que é realizada durante a consulta clínica médica ou odontológica.

Senhor (a), por favor, o melhor a fazer quando for consultar um profissional da saúde é levar anotado o nome da medicação de uso diário e recente, quais são as doenças pré-existentes e existentes no momento, quais os sinais e sintomas que ela provoca no seu organismo. Sendo assim, fica muito mais difícil esquecer algum dado.

Agora, esquecer é uma coisa e omitir é outra coisa completamente diferente. Porque quando o paciente omite alguma informação, ele coloca a vida em riscos, que podem levar a morte por diversos fatores.

Percebo que, durante a anamnese, os pacientes se sentem constrangidos quando perguntamos: qual o seu peso? Alguma droga ilícita? Alguma doença sexualmente transmissível? E por aí vai. São inúmeras perguntas que precisam de respostas precisas, mas o mínimo que as pessoas deveriam saber é qual o próprio tipo sanguíneo. A maioria não sabe.

Por exemplo, como saber se você tem alergia a uma substância? Na maioria dos casos, você só vai saber quando entrar em contato com aquela substância. E se você informou tudo que podia ao profissional da saúde, ele provavelmente saberá o que não administrar no seu tratamento. A prevenção a riscos de saúde e morte não são apenas de responsabilidade do profissional da saúde. Elas recaem também sobre você, paciente, ou o responsável legal.

Mas voltando a triste notícia da morte da musa que partiu com 28 anos, buscando ficar ainda mais bonita, após aplicação de ácido hialurônico no conhecido "bigode chinês". Eu te pergunto: ácido hialurônico mata? Não! Não mata! Ele faz parte do nosso organismo. É um material bioidêntico. Tem restrições? Tem! Algumas doenças ou algumas drogas podem sim contraindicar, mas não matar.

Qualquer procedimento médico ou odontológico, quando bem planejado e executado, raramente provocará danos irreversíveis. Então, ajude na hora da consulta. Informe tudo o que você lembrar sobre a sua saúde. E se por acaso você se esquecer de algum dado, anote para não esquecer e leve na próxima consulta.

Não fique com medo de se entregar aos procedimentos estéticos ou cirúrgicos, pois não existe nada melhor que estar de bem com o espelho e a saúde.

*Karyne Magalhães é cirurgiã-dentista, habilitada em Laserterapia e qualificada no tratamento da Halitose, vice-presidente da Associação Brasileira de Halitose (Abha) e membro da Associação Brasileira de Odontologia (ABO-GO)