Quando o assunto é a higiene bucal, sempre lembramos de limpar os dentes, mas muita gente não dá atenção ao “tapetinho da boca". No entanto, basta uma afta ou qualquer outro desconforto, que a língua passa a ser o centro das atenções, já que esses incômodos dificultam tarefas simples do dia a dia, como comer, por exemplo.

Mas afinal, você sabe para que serve a língua? Castigada por alguns e esquecida por outros, ela tem várias funções, como: percebe a textura, a temperatura e o sabor dos alimentos; auxilia o movimento dos alimentos dentro da cavidade bucal; inicia a deglutição e participa na linguagem, entre outras. 

Para não deixar a sua língua “passar em branco”, listei algumas dicas simples e bem práticas para que você possa reconhecer e cuidar direitinho desse órgão muscular.

Autoexame

A cor da língua: muita gente acredita que a língua está suja por não estar completamente vermelhinha. Cuidado! Nem toda língua é completamente dessa cor. Ela pode sim ter as papilas um pouquinho mais esbranquiçadas.

Textura: se sua língua tem “carocinhos” pequenos da ponta ao meio e grandes no fundo, não se preocupe. Essas são estruturas normais da língua, denominadas papilas linguais. São elas que nos permitem sentir o sabor dos alimentos. 

"Rachaduras": algumas pessoas têm a língua fissurada, como se fosse caminhos mais profundos na língua. Até hoje não sabemos ao certo porque isso acontece. No entanto, não se preocupe, porque isso raramente te trará desconforto. 

Alterações: se você sente sua língua arder, se há um machucado ou “feridinha” que já apareceu há algum tempo e não cicatrizou, deve buscar um especialista. Alterações como essas precisam ser avaliadas por um cirurgião-dentista. Aliás, qualquer anormalidade deve ser acompanhada no autoexame e pelo profissional.

A limpeza

Nem todo mundo precisa limpar a língua. Você só vai limpar a sua se, sobre ela, houver uma camada esbranquiçada (conhecida por muitos como saburra lingual). Caso isso aconteça, após passar o fio dental, escovar os dentes e enxaguar muito bem a boca, coloque a língua para fora e, com um limpador específico para língua, limpe de trás para frente, com movimento suave e leve para evitar a agressão às papilas linguais. 

Esse movimento pode ser repetido de três a cinco vezes a cada higienização, sem a necessidade do uso de produtos, a menos que o seu profissional indique. Você também pode usar a escovas de dentes para essa limpeza. Embora o limpador consiga ir mais fundo, a escova também pode ser sua aliada. Tem gente que prefere a escova ao limpador específico.

Não dá para falar de língua sem falar de mau hálito

Dentro da boca, a língua pode ser o maior depósito para os microrganismos que contribuem para a halitose, também chamada de mau hálito. E sabendo disso, às vezes, ouço pacientes dizendo que limpam a língua até sangrar no intuito de solucionar o grande problema. Castigar a língua não é a solução. Se a sua não está ficando limpinha ou se você acredita ter mau hálito, consulte um profissional para tirar todas as suas dúvidas sobre saúde bucal. O cirurgião-dentista pode te ajudar.

*Karyne Magalhães é cirurgiã-dentista, habilitada em Laserterapia e qualificada no tratamento da Halitose, vice-presidente da Associação Brasileira de Halitose (Abha), membro da Associação Brasileira de Odontologia (ABO-GO) e membro da Sociedade Brasileira de toxina botulínica e implantes faciais (SBTI). Acesse karynemagalhaes.com.br e botoxgoiania.com.br.

Os comentários publicados aqui não representam a opinião da plataforma e são de total responsabilidade de seus autores.