O herpes é uma daquelas doenças que geram muitas dúvidas. Isso pode ser sinal de que as pessoas não estão encontrando informações sobre como amenizar essa infecção (ou estão desesperadas com o problema). Pensando nisso, listei algumas das dúvidas mais frequência sobre o herpes labial. Fique por dentro:

Tenho herpes labial. O que posso fazer para retardar o aparecimento?

Melhorar a imunidade pode espaçar as recorrências. Melhore a qualidade de vida, faça check-up médico e odontológico, pratique atividade física, se alimente bem, controle o estresse, a ansiedade e tudo que te preocupa. A laserterapia e a terapia fotodinâmica também podem diminuir as recorrências do herpes.

Qual o tratamento?

Podemos prescrever antivirais tópicos e/ou sistêmicos. Também podemos reparar e acelerar a cicatrização das lesões herpéticas com a laserterapia, além de inibir a replicação viral e matar os vírus contidos na lesão mediante a terapia fotodinâmica e ozonioterapia. Há, ainda, a possibilidade da aplicação tópica de um produto contendo oxigênio ativo.

É transmissível?

Sim. Evite o contato direto, como beijar outras pessoas e usar talheres ou toalhas. A fase de "casquinha" já não é transmissível, mas mesmo assim é melhor evitar o contato.

Sempre haverá as lesões com bolhinhas de água?

Não. Há casos que ocorre apenas uma vermelhidão, desconforto, queimação e dor na região afetada.

Herpes tem cura?

Não, mas tem tratamento. O vírus fica alojado no corpo esperando uma oportunidade para se manifestar. Pode ser que você tenha o vírus, mas que ele não se manifeste mesmo se o seu estado imunológico cair. 

É comum surgir depois de uma gripe?

Isso é muito comum, mas nem sempre irá ocorrer.

Posso me automedicar?

Jamais! Herpes, quando não tratado adequadamente, pode colocar em risco a sua saúde.

Qualquer pomada para tratar a boca serve para tratar o herpes?

Não, pelo contrário. Algumas podem piorar o caso.

As lesões aparecem só nos lábios?

Não. Elas podem aparecer ao redor da boca e dentro da boca.

Quando procurar tratamento?

Quando surgirem os sintomas de desconforto procure o seu cirurgião-dentista.

Saiba mais aqui

*Karyne Magalhães é cirurgiã-dentista, habilitada em Laserterapia e qualificada no tratamento da Halitose, vice-presidente da Associação Brasileira de Halitose (Abha), membro da Associação Brasileira de Odontologia (ABO-GO) e membro da Sociedade Brasileira de toxina botulínica e implantes faciais (SBTI). Acesse karynemagalhaes.com.br e botoxgoiania.com.br.

Os comentários publicados aqui não representam a opinião da plataforma e são de total responsabilidade de seus autores.