Sendo cirurgiã-dentista, hora ou outra, dentro ou fora do consultório, alguém me pergunta se creme dental é tudo igual. A resposta é sempre a mesma: não! Isso porque cada um tem a própria particularidade e indicação. Entretanto, muitas pessoas acreditam no contrário, já que a principal finalidade seria limpar, não é mesmo? Só que limpar não é a principal ação do creme dental. Na verdade, o que faz a limpeza são as cerdas da escova de dentes. Admito que o dentifrício, que é a pasta ou gel dental, até tem colaboração na limpeza dos dentes, mas que fique claro que ele não é o “ator principal”.

Está certo que é muito mais gostoso limpar os dentes com o creme dental, mas já que nem todos produtos são iguais, resolvi apresentar algumas das substâncias mais utilizadas em boa parte deles. Assim, você vai ter uma noção do que entra e sai da sua boca. Confira:

- Flúor: ajuda a prevenir a cárie dentária, porque ele participa no processo de remineralização. Muito se tem discutido sobre a concentração de flúor indicada e se é uma substância que faz mal ou bem. Eu indico quando acho preciso.
 
- Partículas abrasivas:
alguns cremes apresentam um tipo de “areia”, que serve para limpar melhor os dentes. Essas partículas estão incorporadas aos cremes. Nós, profissionais, não gostamos de recomendar dentifrícios com partículas exageradas, pois o esmalte dental pode perder parte da sua espessura, deixando os dentes mais fragilizados e sensíveis. Normalmente, as indústrias precisam cumprir normas sobre a granulação dessas partículas, o que nos dá mais segurança.

- Substâncias naturais: está na moda ser natural e, talvez por isso, todo mundo tem buscado formas de ser mais saudável. Isso inclui, claro, deixar de usar produtos industrializados. Por isso, ervas medicinais estão sendo usadas para controlar a saúde bucal, eliminar microrganismos e melhorar a imunidade, como é o caso da equinácea.
 
- Bicarbonato de sódio: é um neutralizador de pH. A maioria dos cremes contêm.

- Substância tensoativas (detergente): laurilsulafto de sódio é a substância que dá a espuminha ao creme dental. Eu não recomendo, pois muita gente apresenta sensibilidade da mucosa bucal quando usa creme que a contenha. Então não pode espumar? Há produtos que apresentam outro tipo de substâncias que promovem espuma, mas que são menos danosos ao nosso organismo. 

- Substância antitártaro: o citrato de zinco ajuda a prevenir o cálculo dental (tártaro), diminuindo a proliferação bacteriana.

- Substâncias umectantes: essas substâncias são usadas para evitar que o creme dental resseque dentro do tubo e fora dele, ao ser exposto ao ar. Além disso, outras substâncias podem ser usadas para dar a sensação de mais conforto para pessoas que apresentam qualidade salivar alterada, que se queixam constantemente de boca seca.

- Substâncias flavorizantes: menta, tangerina, laranja, dentre outras, dão sabor ao creme dental. A menta é mais usada para dar frescor.

- Substâncias edulcorantes: é o doce do creme dental. Ultimamente, um açúcar de origem vegetal, o xilitol tem sido bastante. Embora muitos ainda usem a sacarina.

- Substâncias solventes: água. 

Esses e outros diversos componentes fazem parte da química do dentífrico (creme dental). No entanto, é melhor que o seu cirurgião-dentista possa indicar qual o mais adequado para sua saúde bucal e o seu bom hálito. 

Gostou de texto? Compartilhe e leia mais aqui no blog Da Boca pra Fora.

*Karyne Magalhães é cirurgiã-dentista, habilitada em Laserterapia e qualificada no tratamento da Halitose, vice-presidente da Associação Brasileira de Halitose (Abha), membro da Associação Brasileira de Odontologia (ABO-GO) e membro da Sociedade Brasileira de toxina botulínica e implantes faciais (SBTI). Acesse karynemagalhaes.com.br e botoxgoiania.com.br.

Os comentários publicados aqui não representam a opinião da plataforma e são de total responsabilidade de seus autores.