Já ouviu falar em shampoo para pontas secas e raízes oleosas? Eu também não. E o caso de clareamentos dentais por processos milagrosos, para mim se enquadra na mesma linha. Fio dental e creme dental com ação branqueadora, tiras de clareamento, bochecho com água oxigenada e mais outra infinidade de processos mirabolantes que rolam na internet e prometem dentes brancos são, na verdade, pura enganação.

Clareamento dental precisa ser sob supervisão de um profissional habilitado. No processo é usado um agente clareador, que é um medicamento e não um cosmético. Como sabemos, esses produtos não deveriam ser automedicáveis por apresentarem efeitos colaterais, podendo ou não serem de ordem irreversível.

Pra começo de conversa, é preciso definir o melhor tipo de clareamento. Grande parte dos nossos pacientes sonha com dentes brancos ou extremamente "azuis". E a maior dúvida é qual seria o tratamento mais indicado. A laser? Caseiro?

Primeiramente, vamos esclarecer uma das dúvidas mais comuns nos consultórios: clareamento dental, seja ele qual for, independe de fonte luz. Quero dizer que não precisamos de laser, LED ou qualquer outra incidência sobre o dente. Na verdade, quem promove a transformação na cor é o agente clareador, uma substância chamada Peróxido de Hidrogênio, que pode ter outros nomes, podendo ser encontrado nas mais diversas concentrações. Assim, sendo extremamente honesta, o laser nesse caso não faz diferença.

Isso quer dizer, então, que o laser não presta? Pelo contrário! No meu ponto de vista, o laser é o maior e melhor avanço da medicina e odontologia quando usado de forma terapêutica ou cirúrgica. É usado, no entanto, com outros fins, como reduzir a dor, em processos inflamatórios, reparos dos tecidos corporais, reduzir micro-organismos, para cirurgias nas mais diversas áreas da saúde. Enfim, o laser tem o melhor e mais promissor futuro na saúde.

Pontuado isso, vamos a parte prática. Tratamento em casa ou no consultório? Para profissionais que, como eu, acompanham essa evolução, recomendamos clarear os dentes em consultório. Isso porque conseguimos controlar a questão da sensibilidade e fazer o processo com tempo reduzido.

No clareamento realizado em casa, no seu trabalho ou seja onde for, você irá usar uma moldeira que se encaixa nos seus dentes, com um gel em menor concentração, sendo necessário um tempo maior. As maiores queixas desse clareamento, no entanto, vão desde a sensação de gosto do produto, tempo longo do processo a queimaduras na gengiva e mucosas.

Sobre a sensibilidade, digamos que essa sempre foi a maior reclamação dos pacientes, pelo menos no meu consultório. Mas deixou de ser! Graças a uma empresa nacional, hoje, temos um agente clareador muito eficaz e que atende as nossas expectativas, sem apresentar a indesejável sensibilidade dental. Com isso, em algumas consultas, conseguimos clarear os dentes com segurança e assim realizar o sonho de muita gente de ter um sorriso mais claro. Agora, se você pretende ter dentes "azuis", aqueles bem vistosos quanto à cor, só existe uma forma: cerâmicas, também chamadas de porcelanas.

É importante frisar que o clareamento dental depende da resposta individual de cada pessoa e da técnica utilizada. Só o seu dentista pode indicar qual o melhor tratamento para você. Vá ao dentista, procure se informar. O clareamento do seu sorriso, com certeza, começa no esclarecimento de algumas ideias. 

*Karyne Magalhães é cirurgiã-dentista, habilitada em Halitose e Laserterapia, membro da Associação Brasileira de Odontologia (ABO-GO) e da Associação Brasileira de Halitose (Abha).