Quando foi a última vez que você realizou um autoexame na sua boca? Isso é preciso, sabia? O autoexame é fundamental para detectar qualquer alteração que fuja dos padrões da normalidade. Isso pode ajudar a evitar doenças ou, ao mesmo, que algumas outras possam ser melhor tratadas, quando descobertas cedo.  

Podemos comparar nossa boca com as costas: a gente olha, mas não consegue ver muitos detalhes. E no caso da boca, é mais complicado ainda, porque ela é cheia de nichos. Materiais restauradores, por exemplo, que aqueles usados para substituir partes pedidas dos dentes, próteses (dentaduras) acrílicas ou metálicas, contensores ortodônticos, alimentos, bebidas, enxaguatórios bucais, cremes bucais e diversas outras coisas podem desencadear algum tipo de reação alérgica, como se fosse uma dermatite por contato. A resposta pode vir na forma de inchaço (edema), dor, vermelhidão, aumento do volume localizado, coceira, formação de exsudatos (líquidos da resposta inflamatória), ardência e pouco, muito ou até mesmo nenhum desconforto aparente.

Então, se temos o costume de olhar dentro da nossa própria boca, sabemos que cor está a nossa língua, como está a nossa gengiva e dentes. Assim fica mais fácil pra você perceber alguma alteração e correlacionar com algo diferente que você possa ter mudado na sua higiene ou alimentação. É necessário atenção principalmente com machucados na boca que não cicatrizaram em até duas semanas. Eles podem ser algo mais relevante.

Se houver alguma alteração dentro da sua boca, você deve procurar um cirurgião-dentista para avaliação e, se necessário, realizar exames específicos que podem ajudar no diagnóstico. O importante é que você não omita nenhum tipo de informação que possa ajudar na conclusão do diagnóstico e elaboração do plano de tratamento. A melhor prevenção é a consulta com o seu cirurgião-dentista a cada seis meses, além de também seguir a risca as orientações que ele te passar.

*Karyne Magalhães é cirurgiã-dentista, habilitada em Laserterapia e qualificada no tratamento da Halitose, vice-presidente da Associação Brasileira de Halitose (Abha), membro da Associação Brasileira de Odontologia (ABO-GO) e membro da Sociedade Brasileira de toxina botulínica e implantes faciais (SBTI). Acesse saudesalivar.com.br e botoxgoiania.com.br.

Os comentários publicados aqui não representam a opinião da plataforma e são de total responsabilidade de seus autores.