O termo superlua, ao contrário do que muitos possam pensar, foi criado pelo astrólogo Richard Nolle há mais de 30 anos, e não por astrônomos. A superlua acontece quando a lua nova ou lua cheia está no perigeu (nome dado para o ponto mais próximo que a lua atinge em relação ao planeta Terra) ou até 90% desse ponto. O movimento da lua ao redor da Terra não é um círculo perfeito. Sendo assim, em alguns momentos, a lua se distancia mais da Terra, que é quando ocorre o apogeu. Em outros momentos, ela se aproxima mais, quando acontece o perigeu ou superlua.

A maior proximidade da Terra faz com que a lua fique maior e mais brilhante aos nossos olhos. Na lua cheia e na lua nova, o sol, a Terra e a lua estão alinhados. Quando é lua cheia a terra está no centro e quando é lua nova, é ela que está no centro do alinhamento. A influência da lua no nosso planeta não é superstição, nem tão pouco crença popular. A atração gravitacional exercida pela lua sobre a Terra e, em menor escala, a atração gravitacional exercida pelo sol sobre o nosso planeta fazem com que ocorram as marés.

Se a lua influencia nas mudanças das marés dos oceanos, uma gigantesca massa de líquidos, podemos concluir que ela também afeta o homem, já que o corpo humano é, em grande parte, composto de líquidos. Na astrologia, quando se calcula um mapa natal, sabe-se que a lua nem sempre está no mesmo signo solar, aquele signo determinado pelo mês do nascimento. Isso significa que, além da influência do signo solar, existe também a influência do signo lunar. Isso é: o signo onde a lua estava no dia e na hora do nascimento. Isso explica porque, muitas vezes, a pessoa tem características diferentes do signo solar, principalmente no que se refere à maneira como lida e reage com os próprios sentimentos e emoções.

O ano de 2019 começou com um eclipse total da lua, que aconteceu no dia 21 de janeiro, com lua de sangue e superlua. Nesta próxima terça-feira, dia 19 de fevereiro, teremos outra superlua no signo de virgem, quando o sol estará no signo de peixes. Esta será a maior superlua do ano. No dia 20 de março, teremos a terceira superlua, no signo de libra, quando o sol estará no signo de áries e coincidirá com o início do equinócio de inverno no hemisfério sul e do equinócio de primavera no hemisfério norte. Portanto, serão três superluas seguidas.

Essa quantidade de eventos astronômicos raros chama a atenção das pessoas para o céu e, olhando para ela, elas se distanciam um pouco dos eventos cotidianos materiais, mudando o foco, elevando o olhar. A Era de Aquarius já é uma realidade para a maioria dos astrólogos, já que envolve alinhamentos planetários lentos e de duração longa. Através desses eventos astronômicos, é nos dada a chance de parar e observar o planeta em que vivemos, de dedicar alguns momentos para agradecer a oportunidade de estarmos juntos aqui e agora, com tantas ferramentas disponíveis para o crescimento e evolução pessoal e a possibilidade de elaborar metas e objetivos, que tragam mais leveza e bem-estar.
 
* Paula Bueno Brandão se formou em fotografia, produção de TV e cinema. Se dedica há 25 anos ao estudo de astrologia e mitologia. Atualmente, atende astrologia profissionalmente no Espaço Marcia de Luca, em São Paulo. Ministra palestras e eventos com o propósito de estimular e difundir o autoconhecimento e a evolução pessoal. Instagram:@paulabuenob. E-mail:paulabrandao.astrologa@gmail.com.

Os comentários publicados aqui não representam a opinião da plataforma e são de total responsabilidade de seus autores.