Quando uma mulher escolhe ser mãe, ela se disponibiliza inteiramente para essa experiência. Muitas vezes, a gravidez pode até não ser desejada ou esperada, mas ao assumir a maternidade, essa mulher está abdicando totalmente de estar no controle de sua vida, independente de qualquer coisa. A gravidez é o inicio de uma viagem que, ao comprar o bilhete, você já não sabe de mais nada. Não se pode imaginar onde esse trem vai parar, se vai parar, os lugares em que ele vai passar e não temos certeza de nada.

A sensação de levar consigo uma alma, aquele pequeno ser, é magnífica. Você sente um amor imensurável por alguém que sequer imagina como seja. Mas é também assustadora, pois você não pode pedir, simplesmente, para descer daquele trem, diante dos medos, das inseguranças, ansiedades.

Cada dia dessa viagem traz novas histórias. Seus hormônios ao longo do percurso deixam você enlouquecida. Um dia você está cheia de alegrias e risos. No outro, um turbilhão de emoções e você chora até assistindo uma notícia sobre a descoberta de uma nova fórmula matemática lá nas Filipinas. 

O fato é que se sua gravidez foi meticulosamente planejada, se aconteceu de surpresa ou se foi medicamente manipulada, uma coisa é certa: sua vida nunca mais será a mesma. Você irá viver a experiência mais difícil e também a mais incrível e deliciosa que uma mulher pode viver! Ter um bebê é uma grande transição em nossa vida. E no momento em que nascer o bebê, nascerá ali uma mãe. Essa que nunca existiu antes. Algo absolutamente novo!

Esse bebê tornará seu amor mais forte, seus dias mais curtos e as noites mais longas. Vai fazer você esquecer o passado e se preocupar em fazer o futuro valer a pena. Ao dar a luz ao seu bebê, você descobrirá novas possibilidades dentro de si. Força e coragem de mudar tudo, de transformar lágrimas em riso, dor em musiquinhas, momentos difíceis em "era uma vez...".

O trem não vai mais parar. E você vai desejar todos os dias não viver o fim dessa viagem. Vai desejar todos os dias que o tempo passe mais devagar e que você não perca nenhum momento. Você vai tentar segurar o tempo junto com as mãos e assoprar os ponteirinhos do relógio quando estiver longe. Quando você estiver no trem, você vai saber que, antes mesmo de entrar, você já amava cada pedacinho do caminho e vai aprender a valorizar o simples barulhinho do motor do trem, as flores e até as pedras que vir pela janela. 

Boa viagem!

*Karla Cerávolo, esposa do Dan, mãe do Davi e do Bento. Psicóloga de acompanhamento a gestantes, parto e pós-parto. Diretora da Organização De Umbiguinho a Umbigão. 

Os comentários publicados aqui não representam a opinião da plataforma e são de total responsabilidade de seus autores.