Agora que você aprendeu a comer sentada e devagar, conforme as tarefas anteriores, quero convidá-la a aprofundar um trabalho de autoconhecimento. O comportamento alimentar é resultado de um processo de aprendizagem que tem início na terna infância, daí a dificuldade de modificá-lo e a necessidade de treinar essa mudança dia após dia. O que percebo na minha prática de atendimento clínico é que comportamentos alimentares disfuncionais foram sendo aprendidos e solidificados ao longo dos anos e que, graças a isso, houve aumento do ganho de peso. Percebi, também, que para modificar o que está disfuncional faz-se necessário conhecer e identificar onde está o erro.

De uma forma bem simples, o processo de ganho de peso funciona assim: a pessoa muito provavelmente engordou porque comeu sem perceber seus sinais internos de fome e de saciedade. Comeu sem estar com fome e não parou de comer quando já estava saciada. Eu pergunto: você come quando tem fome? Você sabe o que é fome? Quais são os sinais que seu corpo emite quando você sente fome? Quantas horas após a última refeição a sua fome chega? 

É praxe ouvir de profissionais da saúde que a fome surge de três em três horas. Mas a “sua” fome também vem nesse intervalo de tempo? As pessoas estão tão condicionadas e tão dependentes das informações externas que esqueceram que é o seu corpo que deveria te dizer quando você sente fome e a hora de parar de comer. Isso é o comer regulado pelos seus próprios sinais internos de fome e saciedade.
 
Não é novidade para mim ouvir dos meus pacientes que eles não sentem fome antes de três horas após a última refeição, sabia? Eles não sentem fome, mas mesmo assim comem orientados por um profissional. Já outros funcionam como um reloginho e sentem seus primeiros sinais de fome nesse intervalo de três horas após a última refeição. Somos seres singulares e para emagrecer de forma saudável é importante conhecer e respeitar essa singularidade da fome e da saciedade.

Bom, vamos ao que interessa: para realizar a tarefa 5 do #DesafioFalarEmagrece será necessário entender as diferenças entre a fome e outras sensações que se parecem com ela.

Fome: você experimenta uma sensação de vazio no estômago que é frequentemente acompanhada de ruídos. 

Sede: você experimenta uma sensação de secura na boca que o impele a tomar líquido. 

Desejo: você quer comer porque está influenciado por outros estímulos (frequentemente ambientais: cheiro da comida, visão da comida, por exemplo) mesmo que tenha recém-comido. 

Desejo incontrolável: você sente uma urgência de comer um tipo específico de alimento, acompanhada de tensão e uma sensação desagradável na boca, na garganta ou no corpo.

Para emagrecer, você precisa necessariamente conhecer a diferença dessas sensações em seu próprio organismo e, consequentemente, aprender a lidar com elas.

Por isso, a tarefa 5 será de auto-observação. De hoje até a próxima semana você deverá anotar em seu caderno da dieta todas as vezes que sentiu fome, quando ela surgiu e como você lidou com ela (comeu? O que comeu? Quanto tempo levou para comer? Sentiu-se saciada? O que fez caso tenha desejado comer mais?).

Exemplo de como você pode fazer seus registros de auto-observação do seu comportamento alimentar:

Caderno da Dieta da Ana

01-11-16 

Meu primeiro sinal de fome veio hoje às 09h00. Eu não sinto fome ao acordar, por isso, prefiro comer um pouco mais tarde. Numa escala da 0 a 10, minha fome às 09h00 estava no nível 5 e eu realmente precisei parar tudo que eu estava fazendo para fazer minha primeira refeição matinal. Fui até a cozinha da minha casa, fiz um café preto, misturei ao leite desnatado, preparei um pão francês (lembrei de tirar o miolo, para reduzir as calorias. Não sei se faz muita diferença, mas já virou um hábito para mim), passei manteiga e sentei-me para tomar meu café.  Essa refeição durou 10 minutos (preciso aumentar o meu tempo). Ao terminar, avaliei minha saciedade nessa refeição e numa escala de 0 a 10, meu nível de saciedade após essa refeição foi 10.

Dedicar-se a conhecer o seu comportamento alimentar, em especial no que diz respeito à fome, será de grande importância no seu processo de emagrecimento. Comer sem fome te fará engordar e comer com muita fome também será prejudicial, pois você poderá perder o controle sobre a saciedade e irá comer bem mais do que você precisa. Pense nisso. Observe-se. Anote. Invista nesse autoconhecimento.

Na próxima semana, vamos falar sobre como lidar com o desejo incontrolável de comer.

Até lá!

*Sou Ana Spenciere, Psicóloga Clínica e Psicoterapeuta Cognitivo Comportamental. Coach Especialista em Emagrecimento Definitivo. Casada com o Marcelo e mãe do Davi (5) e do Vitor (3). Emagreci 30 quilos fazendo Psicoterapia e as pazes comigo, com meu corpo e com a comida. Depois disso Idealizei o Programa Emagreça + (Emagrecimento Saudável). WhatsApp: (62) 9340-4332. Instagram: @anaspenciere_psi.

Os comentários publicados aqui não representam a opinião da plataforma e são de total responsabilidade de seus autores.