Nos últimos 50 anos, a população ocidental tem passado por uma curva ascendente de ganho de peso e doenças associadas. Sabemos que o maior índice de mortalidade atualmente esta associado às doenças cardiovasculares. E a hipertensão tem aumentado cada vez mais. E esse é um dos fortes motivos que temos para ficarmos atentos com a escolha de uma melhor qualidade da alimentação, com a prática de exercícios físicos, com o consumo de água e ao menor consumo de sódio e produtos industrializados (ricos em sódio).

E mesmo precisando moderar o consumo, o sódio é um mineral importante para nossa saúde, já que participa da transmissão de impulsos nervosos, contração muscular e o equilíbrio hídrico. Consumir em excesso prejudica o funcionamento do sistema cardiovascular, renal, além de aumentar a retenção hídrica. A OMS (Organização Mundial de Saúde) indica o consumo máximo de 2 g de sódio por dia, o equivalente a 5 g de sal de cozinha comum. 

Mas e a variedade que encontramos por aí? Conheça a diferença entre eles.

Sal branco refinado – obtido por evaporação. Passa por processo térmico, refinamento e branqueamento. Por isso perde praticamente todos os traços de microelementos ou oligoelementos. Ou seja, resta apenas uma alta concentração de sódio, além da adição de aditivos químicos prejudiciais à saúde. 400mg/sódio para 1 g de sal.

Sal branco refinado light – processamento e características semelhantes, no entanto, o light tem o teor de sódio reduzido. Parte do sódio é substituída por potássio para não prejudicar o poder salgante. 197mg/sódio para 1 g de sal.

Sal marinho integral – obtido por evaporação, mas não passa por nenhum processo térmico, de refinamento ou branqueamento e, portanto, mantém todos os microminerais e nutrientes que o sal refinado acaba perdendo. Dessa forma, o sal marinho integral possui cor e tamanho diferentes do refinado: ele geralmente tem uma cor acinzentada, com grãos maiores e é úmido. O sabor é menos salgado do que o sal refinado. Pode ser encontrado grosso, fino ou em flocos, nas cores rosa, cinza ou preto. 420 mg/sódio para 1 g de sal.

Sal rosa do Himalaia - o sal de cristal do Himalaia é um produto 100% natural. Ele é recolhido manualmente, sem sofrer nenhum tipo de refinamento. Livre de toxinas e poluentes, esse alimento, recolhido em depósito seculares do Himalaia, é considerado o sal mais puro do planeta e sua cor rosa deve-se à alta concentração de minerais em sua composição – ele carrega mais de 80 tipos de minerais, principalmente ferro, manganês, cálcio, potássio, manganês, selênio, zinco, cobre e iodo. Sua cor é resultado do alto número de minerais presentes em sua composição. E salga de forma perceptivelmente diferente que o sal marinho, conseguindo realçar os alimentos, conferindo novas experiências gustativas. 230 mg/sódio para 1 g de sal

Sal negro – também chamado de "Kala Namak", é uma variedade popular de sais vulcânicos. Sua cor incomum vem da presença de pequenas partículas de ferro e outros minerais. Esse sal especial tem baixo teor de sódio além de um sabor peculiar devido ao alto teor de enxofre que há em sua composição. 380 mg/sódio para 1 g de sal

Flor de sal - perfeito para dar um toque final às preparações, a flor de sal é bem delicada e crocante. Forma-se na superfície das salinas, por ação do vento, e é composta de pequenos cristais. Existem vários tipos, defumados ou não, mas o mais conhecido é o da região de Guérande, no norte da França. Combina com carnes vermelhas, mas deve ser usada em pouca quantidade, já que contém muito sódio. Também é fonte de magnésio, iodo e potássio. 450 mg/sódio para 1 g de sal.

Gersal – trata-se de misturar semente de gergelim triturada e sal em proporções iguais. Muito celebrado na culinária natural, o gersal é fonte de cálcio, gorduras insaturadas, vitaminas E, B1, B2, presentes no gergelim e a característica nutricional do sal que você escolher.

#Nutricomunicação dá a dica: lembre-se que os condimentos frescos e/ou desidratados podem reduzir o consumo de sal sem prejuízos no sabor. 

Sugestão: faça você sua própria masala de temperos. Encha sua cozinha de aromas e esqueça os “temperos e caldos prontos” da vida. Deixe sua marca ;)

Ingredientes

Sal marinho: 2 colheres de sopa 
Alecrim seco: 2 colheres de sopa 
Manjericão seco: 2 colheres de sopa 
Tomilho seco: 1 colher de sopa 

Modo de preparo

Bater tudo no liquidificador e utilizar como tempero nos alimentos em substituição ao sal comum.

*Roberta Oliveira é nutricionista. Proprietária do @emporiodasalada e palestrante. Sorriso largo, olhos apertados. Acredito que a informação é a chave para a sua melhor versão. Vem comigo! Por aqui, #nutricomunicação. Informações sobre a ciência da nutrição sem deixar de lado o comportamento. E você, tem fome de que? Dúvidas? Envie para roberta.nutricomunicacao@gmail.com.