Farinha, manteiga, chocolate, açúcar, ovos… Brownie! Essa é a base da receita tradicional desse típico bolo de americano.

São várias as histórias que narram a origem dessa iguaria. Assim como outras receitas, o brownie não possui origem certa, mas sabemos que ele apareceu para o mundo no inicio do século 20. Entretanto, acredito na lenda da senhora que preparou uma receita com esses ingredientes e que havia se esquecido de colocar fermento na composição. Após assar o “bolo” para servir aos seus convidados, percebeu que ele não cresceu, porém ficou cheiroso, apetitoso e muito bonito.
 
Ele é um “bolo” que não cresce, a massa fica baixa por conta da falta de fermento e menos farinha. Contém muito chocolate, pode ter nozes em sua massa, e é marrom escuro assim como seu nome relata. Não assa por completo, atingindo o ponto ideal: meio cremoso. Eis aí o segredo do brownie perfeito! 

O aumento de ingredientes líquidos, como chocolate e mais quantidade de gordura, como ovos e manteiga também contribui. Ele é o favorito “baked treats” (bolinhos assados) dos americanos, e conquistou a nós, brasileiros, facinho, facinho! Então chega de história, e vamos embora pra cozinha fazer logo porque as lombrigas já estão gritando. Vem comigo!

Receitinha:
250g de açúcar
150g de manteiga sem sal
3 ovos
3/4 xícara de farinha de trigo
350g de cacau em pó 50%
100g de nozes picadas
1 pitada de sal

Modo de preparo:
1º PASSO: Na batedeira, coloque o açúcar e a manteiga. Bater até formar um creme esbranquiçado. Em seguida, adicione os ovos, de um á um. Por fim coloque os ingredientes secos peneirados, as nozes e misture levemente ainda na batedeira. 
2º PASSO: Disponha a massa numa assadeira quadrada pequena (20cm X 12cm) forrada com papel manteiga, leve ao forno pré-aquecido á 180º por aproximadamente 25 min. Retire do forno e deixe esfriar. Corte em quadrados e sirva em seguida!
 
Dica: servir com sorvete de creme e morangos picados! Ah, posta a foto da receita pronta e manda pra gente! #ConfeitoPorAdeyc | @adeycborges

*Adeyc Borges é gastrônomo por formação e confeiteiro de corpo e alma. Amante dos doces prazeres do ofício desde quando ainda os descobria na cozinha da avó materna. É chef pâtissier na Luí Doces e no restaurante Winiká.