Dormir bem é essencial não apenas para recuperar as energias gastas no dia anterior, mas para manter-se saudável, melhorar a qualidade de vida e até aumentar a longevidade. É durante o sono que o organismo realiza funções extremamente importantes, como a regeneração celular, a produção de alguns hormônios, o fortalecimento do sistema imunológico e a consolidação da memória e do aprendizado.

Quando não há qualidade no sono, o corpo logo sente as consequências. Segundo uma pesquisa realizada pelo Instituto de Pesquisa e Orientação da Mente (IPOM), 69% dos brasileiros avaliam o próprio sono como ruim ou insatisfatório. “Os problemas vão desde a dificuldade para adormecer, até acordar diversas vezes durante a noite. A longo prazo, essas noites de sono irregulares podem causar malefícios, como obesidade, hipertensão e diabetes”, diz a consultora do sono Renata Federighi, da Duoflex.

Alguns distúrbios, como apneia e síndrome das pernas inquietas, podem contribuir para que o indivíduo tenha mais dificuldade de adormecer ou manter um sono regular durante toda a noite. Mas alguns descuidos no quarto na hora de dormir também podem prejudicar a qualidade do repouso. “É importante tomar alguns cuidados antes de deitar para que a noite seja revigorante e o organismo desempenhe com sucesso todas as funções necessárias para nossa saúde”, alerta Renata.

A especialista lista algumas dicas para dormir melhor. Confira.

Travesseiro

Escolha o travesseiro que se adapta melhor às suas necessidades. O item deve preencher completamente o espaço entre a cabeça e o colchão, formando um ângulo de 90 graus no pescoço. Se dormir de lado, posição mais recomentada por especialistas, é indicado que utilize outro travesseiro entre os joelhos, de forma a mantê-los semiflexionados e afastados. Essa posição alinha a coluna com o tronco, facilitando a circulação sanguínea e evitando dores musculares e microdespertares noturnos, mesmo que involuntários.

Colchão

Acordar constantemente com dores do corpo pode ser sinal de que há algo errado com o colchão. É importante que o modelo apresente uma camada de conforto composta com espumas de qualidade e que se adaptam aos contornos do corpo, respeitando a curvatura natural da coluna em qualquer posição. Colchões de molas são conhecidos por proporcionar mais conforto, sustentação, resistência e durabilidade. O mais indicado são os modelos de molas ensacadas individualmente, pois não provocam ruídos e garante maior estabilidade e a mínima transferência de movimentos de um lado para outro do colchão. Deste modo, se uma pessoa se mexer de um lado da cama, o sono da outra pessoa não será interrompido.

Luminosidade

A melatonina é produzida naturalmente em resposta à escuridão, sendo a responsável por avisar nosso organismo que está na hora de dormir. Se o quarto está claro, seja pela luz do cômodo ou aparelhos eletrônicos, nosso relógio biológico fica desregulado. Isso interfere na produção do hormônio regulador do sono, fazendo com que o corpo entre em estado de alerta e altere a qualidade do descanso. Por isso, é fundamental manter o quarto o mais escuro possível e evitar o uso de aparelhos eletrônicos pouco antes de dormir.

Barulho

Os sons emitidos pelos aparelhos eletrônicos, sejam da TV, celular, tablete ou qualquer outro, também atrapalham o descanso. Eles deixam o organismo em estado de alerta e não permitem que ele entre na fase de sono mais profunda, que é o estágio em que o corpo recupera as energias.

Temperatura e qualidade do ar

Manter uma temperatura amena e se atentar a qualidade do ar também são fatores cruciais para um sono de qualidade. Temperaturas muito baixas podem causar tremores e contrações musculares, o que dificulta que o indivíduo entre na fase profunda do sono, enquanto um quarto quente eleva a pressão sanguínea e acelera o metabolismo, deixando o organismo em estado de alerta.

Em dias quentes, o uso do ar condicionado alivia o calor, mas o ar seco liberado pode causar males, como irritação da garganta, tosse, espirros e coceira do nariz. Além disso, também contribui para o ressecamento das vias aéreas, o que pode agravar alergias e facilitar o contágio por doenças infecciosas, causadas por vírus, bactérias e fungos. A dica é manter o quarto sempre arejado e ventilado, o ar condicionado sempre limpo e, junto com ele, utilizar um umidificador ou deixar um recipiente com água próximo. Esses cuidados contribuem para a qualidade do ar e evitam o aumento de alérgenos e poluentes.