Muito tem se ouvido falar bastante em mindfulness ou atenção plena. Trata-se de um conjunto de práticas que desenvolvem a capacidade de estar plenamente presente, sem julgamentos. As técnicas permitem sair do piloto automático, favorecendo o contato com a sabedoria interna, resultando em inúmeros benefícios cientificamente comprovados. 

Segundo a instrutora de mindful eating Andrea Bottoni, especialista em nutrologia e em medicina esportiva, entre os benefícios estão: redução do estresse, da insônia e da ansiedade, diminuição da irritação, melhora da memória, estímulo da criatividade, foco e a concentração, diminuição das dores crônicas, além de melhora da inteligência emocional. "Conseguimos tudo isso desacelerando e trabalhando a respiração, realizando uma tarefa por vez", diz.

Ainda conforme a especialista, existe uma série de práticas que podem ser realizadas para que haja essa mudança de padrão mental a partir da meditação. "É possível se perceber como indivíduo e isso influenciará em todas as suas relações, desde as coisas que acontecem ao seu redor até seu relacionamento consigo mesmo e com as outras pessoas." 

Entre as vertentes práticas do mindfulness está o mindful eating ou comer consciente, que tem por objetivo trabalhar a alimentação consciente para respeitar o próprio corpo e conectar melhor o corpo com a alimentação. "O mindful eating promove atenção plena na alimentação, permitindo escolhas e experiências alimentares mais conscientes, o que é fundamental para a promoção da saúde. Sua prática, na verdade, não é para emagrecimento, mas isso pode ser eventualmente uma consequência", conta Andrea.

Além disso, a técnica pode promover uma nova abordagem nos hábitos alimentares, tanto do ponto de vista nutricional quanto neurocientífico e de engenharia comportamental. "É preciso, livre de julgamentos, testemunhar as muitas sensações e pensamentos que surgem à medida que comemos. A alimentação consciente envolve a experiência de beber e comer, com toda a atenção necessária, para sentir os efeitos sobre o corpo. Damos atenção para os aromas, cores, sabores, texturas e temperatura do alimento."

De acordo com a instrutora, mais do que comer devagar, o mindful eating trabalha a consciência dos sinais físicos e emocionais da alimentação, permitindo reconhecer os sinais de fome, vontade, saciedade e os gatilhos que despertam o desejo de comer. "Com sua prática, aos poucos, percebemos nossas outras necessidades, além do ato de comer, e trabalhamos para satisfazê-las", finaliza.

Colocando em prática

Veja alguns passos para colocar o mindful eating em prática.

- Sente-se confortavelmente em uma cadeira e mesa adequadas para refeição;
- Mantenha todos os dispositivos, celulares e televisores longe de você;
- Não tenha pressa para comer;
- Trabalhe a respiração e observe os alimentos que irá ingerir;
- Descanse os talheres para que se sinta confortável;
- Sinta cada sabor, textura, aroma, maneira como o alimento lhe agrada;
- Feche os olhos para sentir com mais intensidade o momento;
 - Imagine todo o percurso do alimento até chegar à sua mesa;
- Não pense nas calorias;
- Avalie sua fome x saciedade e veja se foram equilibradas;
- Agradeça pelo momento e por sua refeição.