Que atire a primeira pedra quem nunca exagerou na comilança em dezembro. Considerada a época mais temida do ano por aqueles que vivem em guerra com a balança ou mesmo que anseiam por uma alimentação mais saudável, as celebrações de final de ano costumam ser regadas a muitas comidas e bebidas. Tudo isso é inevitável e o pior: não tem como fugir. 

No entanto, algumas dicas simples podem ajudar quem, de fato, não quer enfiar os dois pés na jaca e perder tudo que foi construído, com muito suor e dedicação, durante todo o ano. De acordo o nutrólogo e especialista em emagrecimento saudável Ribamar Cruz, não é impossível manter o foco durante esse período de festividades, mas é preciso estar decidido. "A primeira e mais importante dica é controlar os pensamentos sabotadores. Afinal, quem está no comando é você. Porém, existem algumas estratégias que podem te ajudar, como, por exemplo, manter a regularidade das refeições", explica. 

Isso porque nesta época é comum as pessoas pularem as refeições para compensar algum excesso. "Esse hábito é muito errado. O certo é nunca ir com fome para esses eventos. Porque mesmo que você se sinta tentado a sair um pouco do planejamento alimentar, vai comer muito menos do que se estivesse com fome.”

Outra dica muito importante, segundo o nutrólogo, é manter a hidratação em dia, ou seja, beber muita água. "Geralmente, esses encontros no fim do ano estão associados ao consumo de bebidas alcoólicas e quanto mais você se hidratar menos será o efeito adverso do álcool no corpo. Além do que, se hidratar, pode sinalizar ao cérebro a sensação de alimentação, ou seja, você fica mais saciado quando se hidrata”, finaliza.

Saúde digestiva

As confraternizações também podem ter excessos que prejudicam a saúde digestiva. Segundo o médico endoscopista médico endoscopista Fauze Maluf Filho, presidente da Comissão Científica da Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva (SOBED), a melhor política é o equilíbrio. “É importante reduzir a ingestão de frituras, alimentos muito condimentados, embutidos, refrigerantes e álcool. Não apenas durante as festas, mas também no dia a dia. Ainda é fundamental beber de 1,5 a 2 litros de água ao dia e respeitar o intervalo de duas a três horas entre refeições", complementa. 

Para o especialista, os excessos alimentares, tanto nas festas quanto no dia a dia, dificultam a manutenção do peso, o que está relacionado a doenças do tubo digestivo. O excesso de bebida alcoólica também traz malefícios. “O álcool agride o tubo digestivo, bem como o fígado e o pâncreas. Em caso de persistência de sintomas como diarreia, refluxo e dores abdominais é necessário procurar um especialista para avaliação", finaliza.