As dores no corpo são queixas comuns em todo o mundo, mas não é por esse motivo que devem ser deixadas de lado, principalmente quando um simples analgésico não consegue dar conta. Cerca de 37% da população brasileira sofre com dores crônicas, ou seja, há mais de 60 milhões de pessoas com alguma queixa que perdura por mais de três meses, de acordo com a Sociedade Brasileira de Estudos da Dor (SBED). 

O uso contínuo de medicamento pode nem fazer mais efeito e ainda aumentar o problema. Mesmo que a dor seja pequena, é uma mensagem do corpo informando que algo não anda bem. Apesar de serem causadas por diversos fatores, há diferenças sutis na dor causada por uma atividade física ou pelo estresse do dia a dia. "Como consequência do estresse, nervosismo ou ansiedade, as dores mais frequentes são dor de cabeça tensional, dor nos ombros e tensão na articulação temporomandibular. Geralmente aparecem durante ou após episódios de estresse", afirma a Paula Vasconcelos, médica nutróloga do Espaço Volpi. 

Abaixo, a especialista fala um pouco sobre as dores que mais afetam os brasileiros, suas diferenças e o que é possível de ser feito para aliviar a tensão. Confira.

Dor de cabeça

Cefaléia é qualquer tipo de dor de cabeça e pode ser provocada por alteração de pressão arterial, fome, tensão, entre outros. A enxaqueca é uma dor de cabeça com características definidas: geralmente dor de um lado da cabeça, pulsátil, de moderada a forte intensidade e comumente associada às náuseas, vômitos, intolerância à luz e à cheiros. Dentre elas, a cefaleia tensional é o tipo mais comum de dor de cabeça e pode ser causada pela contração involuntária e crônica de músculos na parte de trás do pescoço e do couro cabeludo. É importante entender o fator desencadeante e evitá-lo. Ou, ainda, tomar medidas para relaxamento. Em outras causas é necessário investigar o melhor tratamento.

Dor no ombro

A principal causa é por estresse ou ansiedade, gerando excessiva contração da musculatura da região. Podem ser ainda problemas articulares, como tendinite ou bursite. O tratamento depende da causa. Se forem causadas por estresse, relaxamento, meditação e massagens ajudam a aliviar o problema.

Dor na lombar

Outra campeã de reclamações é a dor lombar, causada, na maioria das vezes, por uma questão postural, isto é, causado por uma má posição para sentar, deitar, abaixar-se no chão ou carregar algum objeto pesado. Para ajudar no alívio da dor e na prevenção, o ideal é fazer um fortalecimento da região abdominal, alongamentos e correção postural.

Dor nos joelhos

Um pouco mais incomum do que as demais, porém se faz presente no dia a dia de muitos brasileiros. As causas mais comuns da dor no joelho são sobrepeso, desgaste da articulação e desalinhamento. Nesse caso, será necessário se consultar com médico nutricionista para perda de peso, além de fortalecimento muscular e alongamento. A chave para se livrar de vez de todas elas é ter um estilo de vida saudável, com boa alimentação, prática regular de exercícios físicos, alongamentos, sono tranquilo (e reparador) e manejo do estresse. Isso tudo ajuda não somente a prevenir as dores, como também diversos outros tipos de problemas de saúde.