Atualmente, a rotina agitada da maioria das pessoas gera o famoso estresse, o que afeta não só a alimentação e relações como as comunicações e, principalmente, o sono. Assim, mais do que nunca, a insônia impede muita gente de recuperar as energias durante a noite. Essas pessoas que apresentam dificuldades para dormir já começam o dia cansadas, com problemas de humor e o desempenho, no trabalho ou nos estudos, acaba sendo seriamente afetado. Há ainda aquelas que possuem insônia crônica, ou seja, o problema pode durar um período de tempo muito maior do que o normal, levando a consequências muito mais difíceis.

Por isso, muitos tratamentos variados são procurados. Cada vez mais popular, a medicina chinesa vem se tornando uma das preferidas desses pacientes, sobretudo a acupuntura. Segundo o médico acupunturiatra Humberto Franco, diretor científico do Colégio Médico de Acupuntura Goiás (CMA-GO), em uma visão mais moderna de tratamento, deve-se considerar não a doença, mas sim o paciente. “A insônia é causada por vários fatores consequentes da rotina do paciente, desde o estresse, a ansiedade e o sedentariasmo. A acupuntura pode ajudar muito não só fisicamente, mas alinhando as energias conflitantes do corpo e acalmando a mente”, conta

Ainda conforme o especialista, o tratamento da insônia pela acupuntura visa a neuromodução através do acesso de nervos periféricos ao sistema nervoso central, melhorando o estresse, ansiedade e, consequentemente, o sono, resultando na melhora da qualidade de vida do paciente. “Isso só acontece após um elaborado diagnóstico feito por um médico, tanto do ponto de vista da medicina contemporânea quanto da medicina chinesa. A velocidade de resultados tende a variar de paciente a paciente, mas a média de sessões necessárias é de 10”, explica. O tratamento também pode levar a diminuição do uso de remédios em alguns casos, a depender do quadro clínico do paciente.

Estresse

A insônia não é o único sintoma da ansiedade, que pode vim acompanhada também de coração acelerado, boca seca, vontade de chorar, entre outros. E também para essas condições a acupuntura é cada vez mais utilizada como tratamento complementar. De acordo com o médico acupunturiatra Antônio Alessandro, assim como outras doenças, quanto mais cedo o tratamento começar, melhores serão os resultados e a resposta será mais rápida. “Todos que começam a fazer a acupuntura já sentem um alívio do estresse, a pessoa consegue dormir melhor e isso vai fazer com que a ansiedade fique mais sob controle. Aquele pensamento acelerado, as palpitações, vão ficando menos frequentes”, argumenta.

No caso da ansiedade diagnosticada, contudo, o tratamento deve ser feito sempre com a acompanhamento de um psiaquatra. “Quem faz uso de medicamentos não deve parar de tomá-los, a acupuntura é um tratamento complementar para diversos tipos de prognósticos, mas geralmente não é o único. Cabe ao psiquiatra diminuir, ou até mesmo trocar, o medicamento do paciente quando ele apresentar uma melhora no quadro de ansiedade. E a acupuntura com certeza o auxiliará nisso.”

Assim como para a insônia, Alessandro ressalta que o tempo de tratamento é relativo para cada paciente, mas a maioria das pessoas já sentem uma melhora com cinco a dez sessões. Outras, que podem ter um quadro crônico mais avançado, demoram um pouco mais para sentirem o efeito.