Toda idade tem sua beleza, incluindo as “fases maduras”. Nesse período, sentir que estamos dedicando um tempinho para nós mesmas faz um bem danado, refletindo no nosso semblante. Isso, claro, inclui rituais de cuidados com a pele, cabelo, unhas, além daquela make bem feita. Mas não é verdade que, com o passar dos anos, é preciso usar mais e mais maquiagem para cobrir as marcas de expressão da idade. Pelo contrário! Devemos aprender a valorizar o rosto em cada período da vida.

O segredo para fazer uma make perfeita em peles maduras é exatamente não pecar pelo excesso. O equilíbrio entre os produtos utilizados e a suavidade das cores criam um efeito harmônico. As regras de makeup para peles maduras parecem muitas, mas, basicamente, resumem-se ao uso de produtos de qualidade e adequados para a idade. As trocas inteligentes também são bem-vindas: o primer ao invés do pó e batons cremosos no lugar daqueles de efeito mate. Veja o passo a passo.

1. ESFOLIAÇÃO

A partir dos 50 anos, é comum o maior depósito de células mortas sobre o rosto. Já existem no mercado várias opções de esfoliantes para peles maduras. São de esfoliação leve, mas que preparam a pele para receber os produtos sem muitos acúmulos. “O bom profissional de maquiagem sempre tem um esfoliante à mão”, explica a consultora de maquiagem Ivonete Diniz.

2. ÁGUA TERMAL

A água termal é um tipo particular de água subterrânea que contém minerais como sódio, magnésio, zinco, boro e manganês, e promete uma ação anti-inflamatória, cicatrizante e de combate aos radicais livres gerados pela poluição e raios solares. “Como segundo passo, a água termal vem para tranquilizar a pele madura das agressões cotidianas e da própria esfoliação.”

3. HIDRATAÇÃO

“As pessoas com pele oleosa têm medo de usar hidratantes. Mas são muitas as opções no mercado de produtos não oleosos. Nenhum tipo de pele está dispensado desse cuidado”, enfatiza Ivonete. Portanto, não importa se a pele é oleosa ou seca, o importante é escolher um produto próprio para cada idade.

4. PRIMER

Conhecido como pré-maquiagem, “o primer uniformiza, fecha os poros e matifica a pele”, explica a maquiadora Andreza Loures. Ele pode substituir o efeito do pó compacto, dispensável na idade madura. Os produtos com efeito sérum são os mais indicados acima dos 50 anos.

5. BASE

Perdemos a conta da quantidade de opções de bases no mercado. Mas como escolher? As bases anti-idade são a melhor pedida porque têm a textura ideal, nem tão líquida nem tão seca. São bases que não craquelam, mas que também não derretem. E quanto menos produto, melhor, orientam as maquiadoras.

6. CORREÇÃO SEM EXAGEROS

A parte mais temida da maquiagem para muitas é o corretivo, principalmente em áreas com rugas e linhas de expressão. Sugestão: “Não tente tampar todas as olheiras e rugas com o corretivo. A função dele é suavizar, e não dar efeito de máscara para o rosto. E prefira produtos fluidos”, explica Ivonete. O velho e bom chá de camomila também suaviza o aspecto arroxeado das olheiras.

Retirando a maquiagem

Para manter a pele sempre bonita e saudável, é de extrema importância utilizar demaquilantes que retiram todo o resíduo da maquiagem no fim do dia. Esse pequeno gesto evita a obstrução dos poros e a formação de acnes derivadas de produtos cosméticos. O segundo passo é higienizar por completo a pele com um sabonete específico para seu tipo de pele. Além de higienizar, os sabonetes faciais têm outras funções secundárias, como auxiliar no controle da oleosidade, limpar e tonificar, com ação detox e antipoluição, além de proteger e preservar a hidratação natural da pele, deixando-a suave ao toque.

Para peles maduras, espumas especiais com ácido glicólico removem as células mortas, ajudam a restaurar tecidos e diminuir sinais da idade. Após limpar a pele do rosto, o passo seguinte é hidratar. A pele é mantida saudável e com a barreira de proteção contra os agentes externos íntegra, evitando a ação de agentes poluentes que podem provocar outros problemas.

Medicina contra o tempo 

Os cuidados com a pele do rosto devem existir desde sempre: proteção do sol, limpeza e hidratação e, de preferência, manter distância do cigarro. Mesmo com esses hábitos, o envelhecimento é inevitável. Aos 30 anos, a produção de colágeno é interrompida e perdemos 1% da substância ao ano. Depois dos 40, “a pele já requer maior hidratação e tende a evidenciar as rugas, que marcam essa cútis normalmente mais ressecada”, como descreve o dermatologista Bruno de Souza Machado.

Com a menopausa e, como consequência, a mudança nos níveis hormonais “nota-se uma pele mais fina e sensível, manchada, de textura áspera, tendendo à flacidez e com rugosidades”. O que fazer, então? Os especialistas dão orientações que podem prevenir e evitar essa aparência.

Creme amigo

Em casa, os cremes com ativos hidratantes e antioxidantes são boas opções. Na hora da escolha, avalie se:

- O creme é adequado para o seu tipo de pele.
- As promessas do fabricante podem se concretizar ou se são “fantasiosas”.
- A escolha do dermocosmético ou “ácido” é adequada ao tratamento. Para ter essa resposta, consulte o dermatologista.
- O manipulado é a melhor opção. “Na minha rotina, os manipulados são a escolha quando há a necessidade de se personalizar uma prescrição, muitas vezes pelo histórico prévio de sensibilização a algum componente específico presente em formulações industrializadas, ou mesmo quando se deseja restringir o uso do produto por tempo determinado”, afirma o dermatologista Bruno de Souza Machado.

Combate ao tempo

“Ainda que apaixonado pela pele e enxergando o rosto como um verdadeiro ‘cartão de visita’, entendo que somos reflexo de nossas escolhas, e não cuidar de si é uma delas. Apenas devemos estar preparados para administrar nossas frustrações e entender que medicina e ciência têm suas limitações”, destaca o dermatologista Bruno de Souza Machado. Recado dado, veja alguns procedimentos usados no rejuvenescimento facial:

- Toxina botulínica;
- Preenchimento e volumização;
- Bioestimulação do colágeno;
- Peeling químico;
- Indução percutânea de colágeno com agulha;
- Laser fracionado;
- Luz pulsada;
- Fios de sustentação;
- Ultrassom microfocado.