Por muito tempo, as estrias foram motivo de temor. Elas originam-se a partir do rompimento das fibras elásticas e colágenas, que têm como função sustentar a camada intermediária da pele. Normalmente, aparecem quando há o estiramento da pele de forma brusca, como em casos de gravidez, puberdade (devido ao crescimento acelerado), ganho excessivo de peso, excesso de exercícios físicos, e uso exagerado ou prolongado de anabolizantes e corticoides. Fatores genéticos e alguns tipos de síndromes também podem influenciar no aparecimento. Mesmo ocorrendo com mais frequência nas mulheres, os homens também estão propensos a tê-las.

Com a busca da quebra de padrões e o incentivo à autoaceitação cada vez mais presente na sociedade, essas marcas já não são mais consideradas um pesadelo como antes. Além disso, hoje a medicina e o mercado de estética oferecem diversas opções de tratamento para amenizar as estrias daquelas pessoas que, de alguma forma, ainda se sentem incomodadas, já que uma das principais razões para a procura desses procedimentos é o abalo da autoestima por questões estéticas.

Segundo a biomédica esteta Shelly Lopes, as estrias são classificadas de acordo com a tonalidade. As rosadas ou avermelhadas são as mais recentes e as esbranquiçadas são lesões cicatrizadas, mais antigas. “No entanto, é preciso tomar cuidado para não confundir a estria vermelha jovem com a estria hiperpigmentada, que na verdade é antiga e meio roxeada. Quando é essa a situação, além de tratar as marcas, é preciso tratar também o pigmento.”

Geralmente, as estrias aparecem em regiões como abdome, quadril, costas, ombros, seios, coxas, nádegas e na parte interna do bíceps. “Nós temos muitos tratamentos no mercado, mas ainda hoje nenhum deles oferece um resultado 100%. Dependendo da fase da estria, se ela é nova ou antiga, podemos alcançar uma melhora de até 70%, variando de caso a caso. Além do resultado, a fase dessas marcas também influencia na escolha dos tratamentos. Falo no plural porque eles devem sempre ser associados. Optar por um só não trará o resultado desejado.”

Posso me livrar da celulite também?

Você já pensou que poderia existir alguma cirurgia para se livrar das estrias? Bem, a eliminação delas por meio desse tipo de procedimento só se dá com a remoção da pele que tem as marcas. “Se uma paciente teve uma gestação e ficou com estrias na região do abdome, por exemplo, ao fazer a abdominoplastia, é possível remover as estrias, pois removeremos a pele que está danificada. As estrias se formam em uma região da pele pobre em colágeno e em outras proteínas da pele e junto com elas vem a flacidez. Cirurgicamente, conseguimos remover as estrias com a retirada da pele em que elas se encontram”, explica o cirurgião plástico Armando Teixeira.

Assim como as estrias, a celulite é algo que ainda incomoda muitas mulheres. “Trata-se de uma inflamação da célula de gordura. Então, quando essa célula inflama, cria-se um processo de fibrose e a pele se retrai. Existem quatro graus de celulite: o grau 1 é aquela celulite que é praticamente imperceptível e o grau 2 é a celulite em que é preciso comprimir e apertar a pele para visualizá-la. Já o grau 3, é aquela celulite bem visível, com aspecto de casca de laranja e o grau 4 é caracterizado por grandes depressões e retrações causadas na pele”, explica o cirurgião plástico.

Para os graus 1 e 2, os tratamentos estéticos são mais recomendados. “Radiofrequência, ultrassom e drenagem linfática, junto à melhoria da alimentação e prática de atividades físicas, conseguem eliminar as desses graus. Já para os graus 3 e 4, há opções de tratamentos cirúrgicos, como algumas cânulas especiais que são utilizadas na própria lipoaspiração e que também utilizamos para conseguir soltar, desaderir, as celulites dos planos mais profundos da pele ou da musculatura. Esse procedimento é chamado de subincisão.”

Outro opção para eliminar as celulites é o Vaser, um aparelho utilizado para fazer a lipoaspiração HD. “Ao ser passado sobre a pele, o aparelho descola facilmente essas células de gordura e as derrete. Caso a paciente tenha uma boa alimentação e pratique exercícios físicos, a tendência é que essas celulites não voltem no futuro, pois elas são causadas justamente pela alimentação inadequada e ausência da prática de exercícios físicos”, alerta Armando.