Os banheiros e lavabos vêm conquistando atenção e destaque na hora de pensar a decoração e arquitetura das casas. Para além das utilidades básicas, o banheiro é aliado da rotina de autocuidado e beleza, pedindo funcionalidade e conforto. O lavabo — aquele banheiro pequeno, geralmente sem chuveiro, que fica na área social da casa — recebe os convidados para uso pontual. Mesmo que esses espaços sejam reduzidos, é possível encontrar soluções e dicas para levar personalidade e organização a eles.

Quando o banheiro ou lavabo são muito pequenos, os arquitetos e designers entram em ação para transformar os espaços atendendo às necessidades e desejos do morador. Para entender o local que será trabalhado, o arquiteto Bruno Moraes faz algumas perguntas: onde é possível ganhar mais metragem? O cômodo é funcional? É possível trocar ou deslocar algum elemento, como um tampo ou uma cuba, para tornar o lugar mais confortável? A partir dessas percepções, as soluções começam a aparecer. “São duas áreas pequenas e é preciso quebrar bastante a cabeça para entender como ganhar mais espaço”, explica.

Com a diminuição de bancadas é possível ganhar mais liberdade de circulação no ambiente e, em alguns casos, a solução pode ser o deslocamento dela. Ainda pensando na otimização de espaço, alguns projetos possibilitam o uso de portas de correr ao invés do modelo comum de abrir para economizar alguns centímetros. Para dar amplitude ao cômodo, os espelhos podem ganhar espaço maior ou posições estratégicas; em alguns casos, podem fugir do local tradicional (acima da cuba e na parede central).

Os armários devem ser pensados com cuidado. “Se a gente quiser aproveitar o máximo de espaço e cantos, o legal é fazer uma marcenaria planejada. Dificilmente são encontrados armários prontos com as medidas adequadas”, recomenda. A escolha acertada do tipo de madeira para esse fim pode evitar dores de cabeça posteriores. “Saber especificar a madeira evita usar um compensado que vai estufar com o passar do tempo”, exemplifica.

Iluminação correta

A grande aliada na hora de pensar um projeto para o banheiro ou lavabo e, segundo Bruno, a cereja do bolo, é a iluminação. “Parece que não, mas a iluminação faz toda a diferença no projeto final”, diz. Ela pode ampliar, mas, se não pensada corretamente, pode diminuir o espaço. No caso de um lavabo, a iluminação deve guiar o olhar do visitante, podendo destacar o revestimento ou mesmo os objetos de decoração. Bruno costuma dividir em mais de um circuito, para criar tanto luz de destaque como geral.

Para quem gosta de se maquiar, é fato que uma boa iluminação é fundamental; no entanto, é comum ouvir reclamações de que na luz do banheiro a maquiagem ficou de um jeito, mas em outro local ficou de outro. Bruno explica o porquê. “Para se maquiar, é necessário uma luz mais forte, e um detalhe que vem escrito na caixa da lâmpada acaba passando despercebido, que é o Índice de Reprodução de Cor (IRC).” Quanto mais alto o índice da lâmpada for, mais ela reproduz fielmente as cores que enxergamos. Na hora da compra, o ideal é conferir se a lâmpada possui IRC entre 80 e 100.

Para a área do espelho, a lâmpada com luz mais forte é a escolha de Bruno; para a área do box, no entanto, o arquiteto indica algo diferente. “O momento do banho dentro da rotina, geralmente, é de relaxamento e para recarregar as energias ao final do dia. Acho legal pôr uma luz mais fraquinha dentro do box, para não agitar ainda mais a pessoa. Você compra hoje a preço acessível lâmpadas de led que mudam a intensidade e a cor, fazendo uma cromoterapia no banho”, indica.