Mais de uma década depois do surgimento do smartphone, pouco se sabe sobre os efeitos da luz azul, também conhecida como luz visível de alta energia (high-energy visible light – HEV), emitida por esses aparelhos sobre a pele. Mas a indústria cosmética passou a chamar essa radiação de poluição digital e algumas marcas já lançam produtos, como os filtros solares específicos, para evitar as consequências negativas. “A luz azul está por toda parte, por exemplo, nos LEDs que iluminam os smartphones, tablets e computadores, equipamentos em que passamos de seis a dez horas expostos a essa luz diariamente”, esclarece o dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia Gustavo Limongi.

Contudo, o médico explica que a luz azul não é totalmente nociva, tanto que é usada para tratar algumas doenças como a acne. Segundo ele, o problema está na superexposição. E é exatamente essa exposição excessiva que começa a ser notada. “Antes, os locais de pigmentação eram mais no centro da face, onde a exposição solar é maior, mas agora nota-se também nas laterais do rosto e na região à frente das orelhas, onde se apoia o telefone”, afirma Limongi.

Apesar de instigar cientistas, ainda não há estudos que demonstrem que essa luz induz ao câncer de pele, mas é sabido que ela penetra mais profundamente que o UVA e o UVB juntos e atinge exatamente a camada onde temos ácido hialurônico, elastina e colágeno, levando ao envelhecimento. “Sabe-se também que as células da pele responsáveis pela pigmentação apresentam receptores para a luz HEV, piorando os quadros de melasma”, completa o dermatologista.

Como se proteger

A recomendação médica é para o uso constante de filtros associados a tonalizantes que formam uma barreira física e protegem mais a pele. “É bom aplicar logo pela manhã e reforçar na hora do almoço”, ensina Limongi. Além disso, manter a pele sempre hidratada e cuidada também é uma maneira de evitar o envelhecimento precoce. “Se possível, evite a exposição excessiva à tela de smartphones e tablets na hora de dormir, pois é justamente quando você está sem a proteção. Trocar os equipamentos eletrônicos por um bom livro vai ajudar a sua pele e o seu sono”, arremata o especialista.