Mesmo uma mulher com corpo considerado escultural por muitas pessoas, como a atriz Sheron Menezzes, sente as transformações após uma gestação. Depois do nascimento de Benjamin, de um ano e oito meses, Sheron conta que notou algumas mudanças. “A principal delas foi no abdômen. Eu estava magra durante a gravidez e, como a minha barriga ficou muito grande, percebi que demorou para ela voltar para o lugar. E quando voltou, ficou mais flácida, com um pouco mais de pele”, conta.

Apesar de manter uma alimentação equilibrada e sem exageros, além de uma rotina regular de atividades físicas, que inclui pilates, muai thay, ballet fitness, corrida e musculação, a atriz decidiu investir em tratamento estético para ajudar a recuperar a forma. “Atividades físicas são essenciais no pós-parto, mas acho que têm algumas questões que elas não resolvem. É o caso da flacidez abdominal”, afirma.

A atriz, então, realizou um protocolo chamado “Super Gold”, que combina três tratamentos: o ultrassom microfocado, a radiofrequência e o Radiesse, um bioestimulador de colágeno. “Fiquei muito empolgada e, mais ainda, quando conversei com as minhas amigas e elas disseram que haviam realizado os mesmos procedimentos para tratar o problema (risos)”, diz.

De acordo com Amanda Serra, dermatologista da clínica Roberta Niemeyer, onde Sheron realizou os procedimentos, durante a gravidez ocorrem alterações importantes no corpo da mulher. O abdômen aumenta de volume para comportar o crescimento do bebê e, como resultado, as fibras elásticas da pele são rompidas, por isso o eventual surgimento das estrias. Além disso, após o parto, pode ser desenvolvida flacidez na região, por conta desse estiramento excessivo. “Assim, o protocolo que une bioestimulador de colágeno, radiofrequência e ultrassom microfocado torna-se ideal no pós-parto”, diz.

O médico Gabriel Monteiro explica que o Radiesse é um gel. Quando injetado na pele, ele provoca uma reação inflamatória, chamando as células produtoras de colágeno para o local. “O resultado é um aumento significativo de colágeno, melhorando consideravelmente a flacidez da pele e as estrias”. A radiofrequência, por sua vez, emite ondas eletromagnéticas, que passam pela pele, elevando a temperatura local. “Como resultado, há o aumento da circulação sanguínea local e a oxigenação dos tecidos, estimulando a formação de fibras de colágeno”. 

Já o ultrassom microfocado emite ondas que aquecem as camadas mais profundas da pele. “Esse aumento de temperatura produz pequenos pontos de coagulação, contraindo as fibras colágenas da derme, assim como da derme profunda, e estimulando a formação de colágeno novo no local.  Essas tecnologias combinadas vêm apresentando bons resultados para firmeza e sustentação da pele. Juntos, conseguem potencializar os resultados do tratamento, já que atuam de maneiras diferentes no estímulo de colágeno e agem tanto nas camadas superficiais como nas profundas”, finaliza.