Mesmo com rotina de exercícios físicos e dieta balanceada, a gordura localizada persistente acaba não sendo eliminada na academia e incomoda muita gente. É o caso da bancária Christine Londe, de 40 anos. Com seis meses de lipo HD completados, ela conta que queria retirar a gordura localizada nas costas e abdome, que não estava conseguindo eliminar com exercício e dieta. “Eu treino há muito tempo, mas estava cansada de fazer sacrifícios e não conseguir resultados”, explica. “Aparentemente não era muita gordura, mas o médico tirou 4 litros”, conta.

Há cerca de dez anos, a bancária passou pelo procedimento de hidrolipo, que retira a gordura localizada de várias partes do corpo utilizando apenas anestesia local. “Nesse caso, fiz no pneuzinho somente. Gostei do resultado, mas é um procedimento bem diferente, porque apenas retira a gordura. A lipo HD desenha o abdome”, explica. Quanto ao procedimento mais recente, ela diz estar bem satisfeita com o resultado obtido. “O médico foi bem minucioso quanto à cirurgia. Me desenhou mesmo”, conta. “Fiz a lipo laser junto, que faz a retração da pele, deixando bem colada e sequinha”.

Os primeiros dias de pós-operatório foram os mais difíceis para Christine. Ela conta que o inchaço causa bastante desconforto, principalmente na região pubiana, e que teve fibrose no processo de cicatrização. Por isso, ela fez tratamentos com massagens, drenagens e carboxiterapia, procedimento realizado por meio da infusão de gás carbônico em diversas camadas da pele. “Fiz os tratamentos com a fisioterapeuta da equipe do cirurgião, porque são técnicas específicas para pós-operatório. Não é uma drenagem simples”, diz. “A carboxiterapia é um procedimento muito dolorido, que não tem nem comparação com o feito em clínicas de estética. Foi uma das piores dores que já senti”, revela.

Apesar do desconforto e complicações, ela conta que no quinto dia já estava até dirigindo. “Se você seguir o pós com todos os cuidados que o médico e a enfermeira recomendam, fica tudo mais fácil”, assegura. Para o sucesso do seu resultado, Christine encontra na atividade física a sua grande aliada. “É fundamental para a vida. Nesse caso, como a atividade física ajuda a modelar o corpo, em conjunto com o procedimento, o resultado é potencializado.”

Tratamentos avançados

A convite do POPULAR, a fisioterapeuta Samantha Oliveira explica sobre as principais técnicas e tecnologias utilizadas atualmente e suas indicações.

Invasivas X não invasivas

As técnicas invasivas são a lipoaspiração e a abdominoplastia. As não invasivas mais comuns são criolipólise, radiofrequência, eletrolipólise, ondas de choque e terapia por campo eletromagnético. Algumas das técnicas não invasivas podem ser utilizadas de maneira isolada ou em conjunto com as invasivas, para potencializar os resultados.

 

Criolipólise

Realizada por meio de uma tecnologia que elimina as células adiposas por intermédio do resfriamento controlado, sem causar danos aos tecidos vizinhos. A gordura “congelada” é destruída e eliminada naturalmente pelo organismo e tem a vantagem de não tirar o paciente da rotina diária.

Indicação: para praticamente todas as áreas corporais: papada, abdome, flancos, costas, interno de coxas, culotes, costas, gordurinha do sutiã e joelhos.

 

Radiofrequência

Utilizada nos tratamentos estéticos corporais e faciais, tem como objetivo promover a produção do novo colágeno e elastina, dando mais firmeza à pele e deixando-a mais lisinha. Melhora a circulação, estimula o metabolismo e promove efeito lipolítico.

Indicação: combate a flacidez, celulite, gordura localizada e remodelação corporal, rugas e linhas de expressão.

 

Eletrolipólise

Técnica que utiliza corrente elétrica de baixa frequência e agulhas ou eletrodos que são introduzidos embaixo da pele, com o intuito de estimular a quebra das células adiposas (lipólise). Como ocorre a melhora da circulação no local, tem efeito drenante e auxilia no tratamento da celulite.

Indicação: coxas, glúteos e abdome.

 

Ondas de choque ou terapia de dndas acústicas

Inicialmente utilizada na fisioterapia ortopédica e na urologia, com as devidas adaptações, passou a ser utilizada também no tratamento da celulite e gordura localizada. Tratamento indolor, ao contrário do que pensam quando escutam o termo “choque”. Promove melhora da circulação sanguínea local e do metabolismo.

Indicação: abdome, glúteos, coxas e culotes.

 

Ultrafomer

Tratamento de combate à flacidez facial e corporal, além dos pequenos acúmulos de gordura (aquelas resistentes à academia e dietas). Tecnologia de ultrassom micro e macro focados, que cria calor e atinge múltiplas profundidades. Promove ancoragem muscular e produção de colágeno e elastina.

Indicação: rosto e áreas do corpo como colo, braços, abdome, tratamento do umbigo triste, glúteo, culotes, interno de coxas e flancos.

 

Emsculpt

Técnica que utiliza o sistema Hifem (high intensity focused eletro magnetic) - em português: tecnologia eletromagnética focada de alta intensidade. O equipamento tonifica todas as camadas musculares do abdome, promovendo hipertrofia por meio de contrações que são impossíveis de serem realizadas em exercícios físicos.

Indicação: mais comumente usado no abdome e glúteos.