Não há dúvidas de que os cabelos são muito valorizados culturalmente. Afinal, os fios têm um valor importante como ornamento pessoal, já que compõem a moldura do rosto e têm um papel indiscutível na autoestima de homens e mulheres. Sendo assim, a perda de cabelos ou o dano capilar, que acontecem por várias doenças ou desgastes do dia a dia, podem ter um impacto muito negativo na vida das pessoas. Mas segundo a dermatologista Anna Cecília Andriolo, “a medicina evolui cada vez mais na busca de conhecimento, tratamento e soluções para esse importante anexo da pele, que deve ser tratado pelo dermatologista”. Nesse contexto, o número de consultas por queixas de queda de cabelo e danos às fibras capilares cresce diariamente.
 
O que fazer para ter um cabelo saudável?
 

A observação do couro cabeludo é importante para verificar se não há descamação ou vermelhidão. Procurar lavar os cabelos com água morna ou fria, escolher o produto adequado para o seu couro cabeludo e para sua haste capilar e evitar dormir com os cabelos molhados, pois os fios estão mais frágeis e mais suscetíveis à quebra, são outros cuidados que devemos ter. Em caso de químicas capilares, é importante procurar sempre profissionais de beleza aptos. A alimentação equilibrada também é parte importante da saúde capilar. 
 
Como minimizar ou compensar danos? Há como recuperar fios já danificados?
 

A melhor maneira de minimizar os danos capilares é usar condicionadores, que vão permitir o fechamento das escamas e a proteção dos fios. Além disso, os condicionadores e máscaras são responsáveis por recuperar também as fibras agredidas pelos danos físicos do sol, vento, mar, baixa umidade do ar, secadores e chapinhas, além de danos químicos das tinturas, clareamentos e alisamentos. Os tratamentos com máscaras vão repor os nutrientes que faltam às fibras e os condicionadores selam as cutículas, permitindo que o material reposto permaneça no fio. Os protetores térmicos são muito bem-vindos para quem usa secadores com frequência. A chapinha deve ser evitada ou usada pontualmente, pelo maior risco de quebra das hastes por atingir temperaturas muito elevadas. Para quem gosta ou precisa se expor ao sol, existem produtos com fator de proteção solar para os cabelos que, assim como a pele, também são danificados pela exposição solar excessiva.
 
O que fazer para o cabelo crescer?
 
O crescimento dos cabelos é determinado geneticamente. Porém, algumas doenças podem levar a um encurtamento da fase de crescimento (fase anágena) e com isso atrapalhar o desenvolvimento das madeixas. Para reverter esse quadro, o médico precisa saber qual é o motivo da diminuição da velocidade de crescimento para só então verificar se existe ou não possibilidade de revisão do quadro. Quando possível, o uso de estimuladores da fase anágena mostra bons resultados.
 
Qual é a importância do dermatologista?
 
Para quem tem queda, rarefação ou mudança do padrão dos cabelos, a visita ao dermatologista é muito importante. Hoje temos um grande número de doenças conhecidas que podem ser responsáveis pela queda dos fios. Algumas dessas quedas são reversíveis espontaneamente, outras precisam de tratamento adequado e algumas requerem tratamento para impedir o avanço, já que não têm recuperação. O dermatologista conta hoje com amplos recursos de diagnóstico para detecção cada vez mais precoce das alopecias. Quanto mais precoce é o diagnóstico, melhor a chance de recuperação e estabilização das doenças, com diminuição do impacto emocional e social na vida desses pacientes.