Apesar dos revezes trazidos pelo avanço da tecnologia, os livros impressos ainda resistem e são objetos que merecem respeito. A arquiteta Tainá Torres conta que sonha um dia projetar sua própria biblioteca. Enquanto isso, ela torna realidade o desejo de seus clientes. Normalmente, quem a contrata com o pedido de ter um espaço especial para os livros são pessoas mais tradicionais que não abrem mão de folhear as obras.

O amor tátil pelos livros norteia os pedidos. “Os livros são peças curinga na decoração. São sempre bons, nunca exagerados. Servem para dar cor e dinamismo na decoração”, explica. Para os apaixonados por leitura, a arquiteta recomenda prateleiras normalmente no escritório da casa ou apartamento. Um cuidado fundamental é o reforço para que a estrutura suporte o peso dos livros. “É preciso também ficar atento à profundidade dos armários e prateleiras que vão receber a biblioteca do cliente”, ressalta.