O assunto "pele" nunca foi tão abordado e discutido como nos dias de hoje. E quando o tratamento é anti-idade, especificamente, existe no mercado uma gama extensa de cremes para os 20, 30, 40, 50, 60 anos ou mais.

Esses produtos prometem cuidar e proteger a pele de danos causados por diversos elementos prejudiciais, como radiação solar, poluição, exposição ao ar-condicionado e à luz azul, emitida por smartphones e computadores. Essas e tantas outras situações, assim como hábitos nocivos, como o tabagismo, são responsáveis por acelerar o envelhecimento cutâneo.

Entre os produtos oferecidos pelo mercado, os orgânicos têm ganhado cada vez mais destaque por propor uma solução para os mais diversos tipos de pele e idades, a partir de fórmulas que respeitam a fisiologia e trabalham em conjunto com a constituição natural do tecido.

Por que orgânico?

Os produtos orgânicos não possuem agrotóxicos ou elementos nocivos à pele, como parabenos, sulfatos, petrolatos e silicones, além de não passarem por processos invasivos de transformação ao longo do desenvolvimento da fórmula, como a radiação.

De acordo com a cosmetóloga Sônia Corazza, a idade avançada é algo natural e belo, e está na hora de enxergarmos o envelhecimento de novas formas. "O diferencial do cosmético orgânico é não gerar malefícios para o organismo e a saúde. Pelo contrário, ele trata a pele ou o cabelo de dentro para fora”, comenta. A especialista garante, ainda, que o resultado é satisfatório. “O produto orgânico entrega os mesmos benefícios dos convencionais ou são até melhores”, finaliza.