A pandemia acelerou o processo de transformações digitais como tendência na oferta de educação e promoção de aprendizagem. Se, antes, a formação continuada já era essencial para professores da rede pública ou privada, com a instituição de um ‘novo normal’, com o ensino remoto, no ambiente virtual, por meio de computadores ou celulares, o investimento na pós-graduação ganha ainda mais força.

Atualmente, parar de estudar não é mais uma opção. A cada dia, a cibercultura se torna mais presente no nosso cotidiano e, frequentemente, temos ferramentas novas, sendo necessário ter a formação continuada quase como um hábito cotidiano.

“O mercado de trabalho se atualiza muito depressa. Então, não simplesmente na área de tecnologia, mas, em todas as áreas, o profissional precisa buscar o conhecimento necessário para se inserir nesse mercado, e a pós-graduação possibilita esse contato tanto com a teoria quanto com a prática”, afirma a coordenadora do MBA em Assessoria de Imprensa na Comunicação Digital do Centro Universitário Araguaia (UniAraguaia), Maraísa Lima.

Para a coordenadora do Núcleo de Inovação e Tecnologias Educacionais e do Núcleo de Extensão, Pesquisa e Pós-Graduação da UniAraguaia, professora Tatiana Carilly, a busca por novos conhecimentos é fundamental para acompanhar as crescentes mudanças do perfil profissional.

“A formação continuada é uma necessidade; quem não continua sua formação depois da graduação vai ficar obsoleto no mercado”, considera. “Por mais que a gente se especialize em determinada área, sempre precisamos de (mais conhecimento em) outras áreas. O trabalho colaborativo, interativo, é a bola da vez em todas as áreas”, argumenta.

Como fazer a escolha certa? 

Desde o início do distanciamento social, em março de 2020, a procura por cursos de pós-graduação online registrou um aumento significativo. Por conta da demanda, surgiram muitos cursos acessíveis, baratos, de até R$59,90 por mês. Na hora de efetivar a matrícula, entretanto, é muito importante ficar atento. Dar prioridade a uma boa instituição de ensino, com professores qualificados, podem fazer toda a diferença! 

Confira algumas dicas:

- Verifique se a instituição é credenciada e avaliada pelo MEC;

- Avalie a qualidade do corpo docente (especialistas, mestres e doutores);

- Procure saber se há adequação dos profissionais/docentes ao mercado de trabalho atual;

- Busque informações sobre a adaptação da instituição de ensino às necessidades para priorizar o processo de ensino-aprendizagem do aluno.

Por: Williane Ludogério é estudante do 4º período de Jornalismo da UniAraguaia, sob orientação da professora Patrícia Drummond