Cada vez mais, a indústria automobilística tem investido em novas tecnologias para desenvolver a oferta de modelos elétricos. Especialistas se arriscam aos montes ao datar a aposentadoria dos motores à combustão. E os carros híbridos já são uma realidade. Apesar dessa tendência para poupar o meio ambiente, a Toyota Motor Corporation, pioneira em tecnologia híbrida, quer aprimorar ainda mais sua contribuição.   

A empresa entende que reduzir a emissão de CO2 na atmosfera é de extrema importância para o planeta. Mas, sozinha, essa ação não é capaz de reverter os danos provocados pelo avanço da sociedade.

Diante disso, no ano fiscal 2015/2016 a matriz Toyota Motor Corporation lançou o Desafio Ambiental 2050, que é um conjunto de ações que estabelece que até a metade desse século seja possível zerar a emissão de gás carbônico em todas as operações da marca e gerar, assim, um impacto positivo real no meio ambiente e nas comunidades próximas.

A empresa também estabeleceu metas para o curto prazo. Até o ano de 2020, o objetivo é já zerar a emissão de CO2 nas operações de suas fábricas. Dentro desse prazo, a Toyota do Brasil terá adequado todas as unidades que mantém no país, entre montadoras, fábricas de peças e distribuidoras de acordo com a planta que mantém em sua sede, em São Bernardo do Campo, em São Paulo.

Medidas como a conscientização dos colaboradores e funcionários, a troca das lâmpadas fluorescentes pelo sistema LED, a otimização do uso do maquinário em horários improdutivos e o uso de energia 100% renovável, garantiram à unidade o certificado com selo ISO 14000. Além disso, foi possível aumentar em 56% a quantidade de energia economizada.

De olho nesse compromisso, fornecedores e rede de concessionárias também foram estimulados a operar em harmonia com a natureza. Do ano fiscal 2016/2017, quando as primeiras ações passaram a ser executadas até o momento, a Toyota do Brasil conseguiu reduzir 2% de suas emissões de CO2 por veículo produzido.

Mais esforços também têm sido concentrados no transporte de produtos. Os processos de distribuição de modelos e peças entre fornecedores e a rede autorizada priorizam a redução das emissões que, hoje, representam três quartos de todo o CO2 despejado durante a logística.

No ano de 2015, a inauguração do Centro de Distribuição de Suape, em Pernambuco, foi de suma importância. Estrategicamente localizada, a unidade está no eixo entre as fábricas de São Paulo e Argentina.

Isso possibilitou com que os modelos importados e os produzidos aqui passassem a ser transportados pelo mar. Essa solução reduziu 6,8 mil toneladas de emissões se comparado ao transporte rodoviário.

A linha férrea entre os municípios de Santos e Suzano também otimiza a distribuição de peças que chegam pelo porto e precisam ser entregues nas fábricas no interior de São Paulo. Sem contar todos os outros pequenos gestos do dia a dia, tomados por cada um dos nossos mais de trezentos mil (** nível global) colaboradores.

Um dos pilares da filosofia da Toyota Motor Corporation se traduz pelo termo Kaizen, que traduzido do japonês, representa a melhoria contínua. A Toyota compreende que ainda falta muito para que todos os setores da sociedade consigam estar alinhados em eficiência ambiental. Mas entende também que não podemos esperar que tudo esteja a nosso favor para começarmos agir quando há um objetivo pela frente.