A máscara é o item essencial e indispensável para a prevenção da Covid-19. Porém, o uso constante pode ocasionar lesões na pele, já que ela pode obstruir os poros e causar desidratação no local. Uma pesquisa publicada no jornal “American Academy of Dermatology” mostrou que 83% dos profissionais de saúde que atuaram na linha de frente contra o coronavírus em Hubei, na China, relataram sofrer com o aparecimento de acne no rosto. Além disso, 70% dos profissionais também relataram pele seca e descamação na região do rosto coberta por máscara.
 
As queixas de lesões na pele devido ao uso do equipamento de proteção individual (EPI) aumentaram nos consultórios, principalmente de pessoas que precisam utilizar por longos períodos. Nesta época do ano, é preciso ter cuidado redobrado com a hidratação devido ao período de tempo seco e baixa umidade do ar, que aliados ao uso constante da máscara, podem ocasionar problemas na pele. De acordo com a médica dermatologista do Sistema Hapvida, Isabela Corral, os problemas são mais comuns em pessoas que tem mais sensibilidade na pele. “A umidade do tecido e o calor do dia a dia modificam a barreira da pele, acarretando em lesões. Além da acne, o uso constante da máscara pode acarretar em rosácea, que é aquela aparência mais avermelhada na pele, dermatite de contato, dermatite seborreica, entre outros”, explica.
 
Para prevenir ou reduzir os danos, a especialista explica que é preciso ter cuidados redobrados com a pele neste período. “Cada tipo de pele exige um tratamento específico. Para a pele mais oleosa, é preciso realizar uma limpeza adstringente, que é uma limpeza mais profunda, com hidratação adequada com produtos específicos. Para as peles mais secas, é preciso utilizar produtos com potencial de hidratação maior como produtos em gel ou em sérum que sejam mais secos, mas que também ajudam a hidratar. E nos casos específicos, tem que tratar as doenças individuais. É preciso a avaliação de um especialista”, alerta Isabela.
 
Uma dica que pode amenizar as lesões na pele é não passar maquiagem antes de usar a máscara, já que esse tipo de produto pode piorar a obstrução dos poros. Além disso, evitar lavar o rosto com água muito quente também pode auxiliar na prevenção às lesões. Também é preciso ficar alerta em relação ao tecido e correta higienização das máscaras. “Prefira os tecidos 100% algodão, a troca deve ocorrer entre duas e quatro horas. Higienize com frequência e enxágue bem para retirar os resíduos do sabão”, finaliza.

Sobre o Sistema Hapvida
 
Com cerca de 6,2 milhões de clientes, o Sistema Hapvida hoje se posiciona como um dos maiores sistemas de saúde suplementar do Brasil presente em todas as regiões do país, gerando emprego e renda para a sociedade. Fazem parte do Sistema as operadoras do Grupo São Francisco e RN Saúde, além da operadora Hapvida e da healthtech Maida. Atua com mais de 30 mil colaboradores diretos envolvidos na operação, mais de 15 mil médicos e mais de 15 mil dentistas. Os números superlativos mostram o sucesso de uma estratégia baseada na gestão direta da operação e nos constantes investimentos: atualmente são 40 hospitais, 184 clínicas médicas, 41 prontos atendimentos, 174 centros de diagnóstico por imagem e coleta laboratorial.