Considerado o câncer da terceira idade, já que 75% dos casos no mundo ocorrem em pacientes acima de 65 anos, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens, ficando atrás apenas do câncer de pele não melanoma. Os dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA) estimam 65.840 novos casos do câncer de próstata no Brasil somente este ano.

A campanha Novembro Azul possui uma alta relevância no combate ao câncer de próstata e conscientização sobre a importância dos exames regulares e diagnóstico precoce, que são, de acordo com o médico radiologista Antônio Cordeiro Filho, ricas estratégias para a redução da mortalidade.

Mestre pela Universidade de São Paulo, com ênfase na avaliação da ressonância multiparamétrica prostática, o médico integrante da equipe de medicina interna do CRD – Medicina Diagnóstica frisa que a prevenção do câncer de próstata está associada aos hábitos de vida saudável. “É preciso ter uma dieta rica em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais, e com menos gordura, principalmente as de origem animal; manter o peso corporal adequado; praticar atividade física; não fumar e evitar o consumo de bebidas alcoólicas”, orienta Antônio Cordeiro.

Alguns fatores, segundo o médico radiologista, podem aumentar o risco de câncer de próstata, tais como histórico familiar, com diagnóstico precoce - antes dos 60 anos, excesso de gordura corporal e exposição a aminas aromáticas, que são comuns nas indústrias químicas, mecânicas e de transformação de alumínio.

Estágio inicial

Antônio Cordeiro explica que o câncer de próstata pode ser identificado com a combinação de dois exames. “A Dosagem de PSA é um exame de sangue que avalia a quantidade do antígeno prostático específico. Já o toque retal é feito pelo médico urologista, com o objetivo de identificar nódulos ou tecidos endurecidos que representam um possível estágio inicial da doença. É rápido e indolor”, salienta.

O diagnóstico precoce do câncer de próstata possibilita, de acordo com o médico, melhores resultados no tratamento. “Alguns sintomas importantes devem ser observados como dificuldade de urinar, diminuição do jato de urina, necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou à noite e presença de sangue na urina”, pontua.

Ajuda especializada

O paciente com suspeita de câncer de próstata que procura o CRD – Medicina Diagnóstica encontra o mais moderno equipamento de ressonância magnética que existe na atualidade, com alto campo magnético 3 Tesla e, consequentemente, tem à disposição imagens de alta resolução.

Soma-se a esta tecnologia, o conforto na realização do exame sem a necessidade de utilização de bobina endorretal, além do tempo de realização do exame reduzido. O CRD possui, ainda, uma equipe médica especializada com larga experiência na interpretação das imagens, “o que é essencial para um bom diagnóstico”, opina Antônio Cordeiro

Ressonância Magnética no diagnóstico

O médico radiologista ressalta que a Ressonância Magnética Multiparamétrica da Próstata é um exame que tem demonstrado crescente relevância na prática urológica. “Devido aos avanços tecnológicos dos equipamentos e à introdução de sequências funcionais, possibilita maior acurácia na detecção e caracterização de tumores prostáticos”, observa.

As indicações da ressonância prostática estão sendo continuamente expandidas graças à melhora dos equipamentos e protocolos de obtenção de imagens, que permitem a realização de estudos não invasivos e sem a utilização de radiação ionizante.

Dentre as indicações, Antônio Cordeiro destaca o diagnóstico principalmente em paciente com alta suspeição e com repetidas biópsias guiadas por ultrassonografias negativas, o planejamento terapêutico, além do andamento e avaliação da resposta tumoral, tanto nas abordagens cirúrgicas quanto nas abordagens conservadoras com a utilização de quimioterapia, radioterapia e hormonioterapia.