Já se passaram quatro corridas desde que a Red Bull de Max Verstappen começou a se preocupar com a velocidade de reta da Mercedes, que melhorou no Grande Prêmio da Grã-Bretanha —depois de uma sequência de vitórias do holandês na França, Estíria e Áustria— e deu outro passo na Bélgica, quando estreou uma nova unidade de potência. De lá para cá, o atual líder do cam...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários